Tijolaço: “Tarjécio” Neves pediu para ser “expungido” das delações da Odebrecht ao TSE

Jornalista Fernando Brito divulgou o pedido do PSDB ao ministro Herman Benjamin para "tarjar" o nome do senador Aécio Neves nos testemunhos dos delatores da Odebrecht, que informaram sobre pedidos e transferências de dinheiro para o candidato tucano à Presidência; advogado tucano pede que o seu nome seja 'expungido', isto é, 'apagado, eliminado, riscado' , porque teria 'a finalidade exclusiva de causar danos à imagem do PSDB e ao seu presidente, Aécio Neves; "É perfeitamente natural. Aécio já está quase 'expungido' da credibilidade pública e, nas pesquisas eleitorais, vai se expungindo progressivamente, atrás até do garrancho Jair Bolsonaro"

Jornalista Fernando Brito divulgou o pedido do PSDB ao ministro Herman Benjamin para "tarjar" o nome do senador Aécio Neves nos testemunhos dos delatores da Odebrecht, que informaram sobre pedidos e transferências de dinheiro para o candidato tucano à Presidência; advogado tucano pede que o seu nome seja 'expungido', isto é, 'apagado, eliminado, riscado' , porque teria 'a finalidade exclusiva de causar danos à imagem do PSDB e ao seu presidente, Aécio Neves; "É perfeitamente natural. Aécio já está quase 'expungido' da credibilidade pública e, nas pesquisas eleitorais, vai se expungindo progressivamente, atrás até do garrancho Jair Bolsonaro"
Jornalista Fernando Brito divulgou o pedido do PSDB ao ministro Herman Benjamin para "tarjar" o nome do senador Aécio Neves nos testemunhos dos delatores da Odebrecht, que informaram sobre pedidos e transferências de dinheiro para o candidato tucano à Presidência; advogado tucano pede que o seu nome seja 'expungido', isto é, 'apagado, eliminado, riscado' , porque teria 'a finalidade exclusiva de causar danos à imagem do PSDB e ao seu presidente, Aécio Neves; "É perfeitamente natural. Aécio já está quase 'expungido' da credibilidade pública e, nas pesquisas eleitorais, vai se expungindo progressivamente, atrás até do garrancho Jair Bolsonaro" (Foto: Aquiles Lins)

Por Fernando Brito, do Tijolaço - Apareceu o pedido do PSDB ao ministro Herman Benjamin que gerou a ordem de "tarjar" o nome de Aécio Neves nos testemunhos dos delatores da Odebrecht, que informaram sobre pedidos e transferências de dinheiro para o candidato tucano à Presidência.

O advogado tucano pede que o seu nome seja "expungido", isto é, "apagado, eliminado, riscado" , porque teria "a finalidade exclusiva de causar danos à imagem do PSDB e ao seu presidente, Aécio Neves.

É perfeitamente natural. Aécio já está quase "expungido" da credibilidade pública e, nas pesquisas eleitorais, vai se expungindo progressivamente, atrás até do garrancho Jair Bolsonaro.

E, como o apoio incondicional a Micher Temer, com certeza, "expungir-se-á", definitivamente.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247