Tijolaço: Temer já não se importa em parecer um rato

"É direito de qualquer investigado de se recusar a responder perguntas antes de transformado em réu, mas o pedido de dilação do prazo que Temer dirigiu ao STF mostra que, como é de seu caráter, Temer usou de uma manobra desleal para ganhar tempo na provável ação judicial de que será objeto o seu relacionamento com Joesley Batista e o grupo JBS", escreve Fernando Brito; "O ocupante da Presidência da República já não se importa em parecer um rato perante a opinião pública, talvez porque saiba que todos já perceberam que ele o é", completa

Presidente Michel Temer no Palácio do Planalto. 10/05/2017 REUTERS/Ueslei Marcelino
Presidente Michel Temer no Palácio do Planalto. 10/05/2017 REUTERS/Ueslei Marcelino (Foto: Gisele Federicce)

Por Fernando Brito, do Tijolaço

Michel Temer seguiu a orientação que deu à defesa de seu ex-pupilo Rodrigo Rocha Loures, o homem da mala da JBS: ficou calado no “interrogatório” por escrito feito por delegados federais com a famosa lista de 82 perguntas, enviando documento em que se recusa a respondê-las ao ministro Luiz Edson Fachin.

É direito de qualquer investigado de se recusar a responder perguntas antes de transformado em réu, mas o pedido de dilação do prazo que Temer dirigiu ao STF mostra que, como é de seu caráter, Temer usou de uma manobra desleal para ganhar tempo na provável ação judicial de que será objeto o seu relacionamento com Joesley Batista e o grupo JBS.

Temer é um homem incapaz de qualquer defesa moral e política, embora possa e vá, como está demonstrando, usar de mil ardis para a defesa jurídica e parlamentar.

O ocupante da Presidência da República já não se importa em parecer um rato perante a opinião pública, talvez porque saiba que todos já perceberam que ele o é.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247