Tijolaço: Temer usa Aécio para dar um tapa em FHC

Jornalista Fernando Brito atribui a Michel Temer a decisão que retirou o senador Tasso Jereissati da presidência interina do PSDB, feita pelo senador Aécio Neves; "Aécio, por si só, não tinha força para atingir assim, tão francamente, o homem que, na presidência do partido, representava as posições 'fernandistas'. A força da mão que desferiu o golpe vem do Governo Temer, o braço foram os ministros tucanos e o cérebro o do próprio presidente. A proteção a Aécio e o grupo governista – que vai muito além dos quatro ministérios – são posições essenciais para Temer", diz Brito

Jornalista Fernando Brito atribui a Michel Temer a decisão que retirou o senador Tasso Jereissati da presidência interina do PSDB, feita pelo senador Aécio Neves; "Aécio, por si só, não tinha força para atingir assim, tão francamente, o homem que, na presidência do partido, representava as posições 'fernandistas'. A força da mão que desferiu o golpe vem do Governo Temer, o braço foram os ministros tucanos e o cérebro o do próprio presidente. A proteção a Aécio e o grupo governista – que vai muito além dos quatro ministérios – são posições essenciais para Temer", diz Brito
Jornalista Fernando Brito atribui a Michel Temer a decisão que retirou o senador Tasso Jereissati da presidência interina do PSDB, feita pelo senador Aécio Neves; "Aécio, por si só, não tinha força para atingir assim, tão francamente, o homem que, na presidência do partido, representava as posições 'fernandistas'. A força da mão que desferiu o golpe vem do Governo Temer, o braço foram os ministros tucanos e o cérebro o do próprio presidente. A proteção a Aécio e o grupo governista – que vai muito além dos quatro ministérios – são posições essenciais para Temer", diz Brito (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Fernando Brito, do Tijolaço - Não vai haver "em cima do muro" nas reações do grupo que apóia Tasso Jereissati e o desembarque do PSDB do Governo Temer, como corneteou domingo o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

Aécio, por si só, não tinha força para atingir assim, tão francamente, o homem que, na presidência do partido, representava as posições "fernandistas".

A força da mão que desferiu o golpe vem do Governo Temer, o braço foram os ministros tucanos e o cérebro o do próprio presidente. A proteção a Aécio e o grupo governista – que vai muito além dos quatro ministérios – são posições essenciais para Temer.

A crise no PSDB vai ser a "desculpa" para paralisar ou absorver a derrota na fantasia da reforma da previdência.

Mesmo com toda a simpatia tucana pela retirada de direitos dos trabalhadores, é impossível a composição depois de uma bofetada destas.

A convenção partidária, marcada para o dia 9 de dezembro, alguém acha que votar com Temer, a esta altura, é possível para a turma "tassista"?

Temer erra muito, mas compra bem.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247