TRF4 mantém absolvição do jornalista Breno Altman

Jornalista já havia sido absolvido pelo juiz Sérgio Moro na ação penal da Operação Lava Jato sobre suposto empréstimo fraudulento em favor do PT; "Ontem a Procuradoria do TRF4 negou o parecer do MPF da 13a Vara e solicitou a manutenção de minha absolvição. O resultado concreto é que se torna praticamente certo que o TRF4, ao julgar a apelação do MPF da 13a Vara, determinará seu pronto arquivamento, com o encerramento do caso", escreveu em seu Facebook

Jornalista já havia sido absolvido pelo juiz Sérgio Moro na ação penal da Operação Lava Jato sobre suposto empréstimo fraudulento em favor do PT; "Ontem a Procuradoria do TRF4 negou o parecer do MPF da 13a Vara e solicitou a manutenção de minha absolvição. O resultado concreto é que se torna praticamente certo que o TRF4, ao julgar a apelação do MPF da 13a Vara, determinará seu pronto arquivamento, com o encerramento do caso", escreveu em seu Facebook
Jornalista já havia sido absolvido pelo juiz Sérgio Moro na ação penal da Operação Lava Jato sobre suposto empréstimo fraudulento em favor do PT; "Ontem a Procuradoria do TRF4 negou o parecer do MPF da 13a Vara e solicitou a manutenção de minha absolvição. O resultado concreto é que se torna praticamente certo que o TRF4, ao julgar a apelação do MPF da 13a Vara, determinará seu pronto arquivamento, com o encerramento do caso", escreveu em seu Facebook (Foto: José Barbacena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O jornalista e editor do site Ópera Mundi publicou nesta quinta-feira (14), em seu perfil no Facebook, o desenrolar de seu processo. De acordo com ele é praticamente certo que o “TRF4 determinará seu pronto arquivamento, com o encerramento do caso”.

Absolvido na ação penal da Operação Lava Jato sobre suposto empréstimo fraudulento em favor do PT, o jornalista Breno Altman escreveu oo seguinte texto:

"A implacável caçada contra o PT, algumas poucas vezes, se depara com situações nas quais a manipulação dos fatos esbarra em dificuldades concretas e os juízes são obrigados… vejam só… a fazer justiça.

Depois de absolvido pelo juiz Sérgio Moro, o MPF da 13a Vara Federal (Curitiba) apelou por minha condenação à segunda instância, o Tribunal Regional Federal da 4a Região.

Como manda o rito processual, quando a apelação chegou a Porto Alegre (sede do TRF4), foi despachada para o parecer do MPF desse organismo.

Ontem a Procuradoria do TRF4 negou o parecer do MPF da 13a Vara e solicitou a manutenção de minha absolvição.

O resultado concreto é que se torna praticamente certo que o TRF4, ao julgar a apelação do MPF da 13a Vara, determinará seu pronto arquivamento, com o encerramento do caso.

Agradeço aos familiares, amigos e companheiros a solidariedade prestada.

Agradeço a meus advogados pelo brilhante trabalho.

Nada há a comemorar, enquanto a escalada antipetista segue adiante, mas pequenas vitórias, em tempos difíceis, devem nos ajudar a manter o ânimo e seguir no bom combate".

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247