Twitter restringe conta de campanha de Trump após vídeo sobre filho de Biden

Segundo o Twitter, um vídeo pela conta @TeamTrump sobre o filho do candidato democrata à Presidência dos EUA, Joe Biden, violou as regras da plataforma. O perfil foi suspenso temporariamente e depois desbloqueado

Apoiador de Trump compra parte do Twitter.
Apoiador de Trump compra parte do Twitter. (Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

(Reuters) - O Twitter restringiu temporariamente a conta da campanha à reeleição do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, alegando que um vídeo publicado pelo perfil sobre o filho do candidato democrata à Presidência dos EUA, Joe Biden, violou as regras da plataforma. O perfil foi suspenso temporariamente e depois desbloqueado.

O vídeo publicado pela conta @TeamTrump se refere a uma matéria do jornal New York Post de quarta-feira que contem alegados detalhes dos negócios de Hunter Biden com uma companhia energética da Ucrânia e afirma que o ex-vice-presidente e agora postulante democrata à Casa Branca se reuniu com um conselheiro desta empresa.

“Joe Biden é um mentiroso que vem roubando nosso país há anos”, lê-se na legenda do vídeo. 

O Twitter disse que o vídeo viola suas regras contrárias à publicação de informações privadas, acrescentando que a conta pode ter de deletar a publicação para poder voltar a tuitar.

“Vai tudo terminar em um grande processo judicial e existem coisas que podem acontecer que são muito graves e que eu preferia não ver acontecerem, mas provavelmente terá de acontecer”, disse Trump quando questionado sobre a decisão do Twitter. 

A empresa disse na quarta-feira que a matéria do Post violou sua política sobre “materiais hackeados”, que proíbe a distribuição de conteúdo obtido por meio de hackeamento que contenha informações privadas ou segredos comerciais, ou que coloque as pessoas em risco de danos físicos.

O Facebook e o Twitter tomaram medidas proativas na quarta para restringir a disseminação da matéria do Post horas depois de ela ser publicada.

O Twitter impôs restrições parecidas à conta da secretária de Imprensa da Casa Branca, Kayleigh McEnany, na quarta, depois de ela compartilhar a matéria do Post.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247