Twitter virou campo de batalha, não tem mais graça, diz William Bonner

O apresentador do Jornal Nacional contou a Serginho Groisman o motivo de ter se afastado da rede social. "Quando eu entrei aquilo era uma forma de diversão"

William Bonner
William Bonner (Foto: Reprodução/Globoplay)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Em entrevista a Serginho Groisman exibida neste sábado (8) no programa Altas Horas, o apresentador do Jornal Nacional William Bonner falou sobre sua experiência no Twitter e contou o motivo de ter se afastado da rede social.

"No início não era assim. Quando eu cheguei nas redes sociais em 2008, 2009, aquilo quando eu entrei aquilo era uma forma de diversão. Tem gente que fica intelectualizando o que fiz: 'você criou um personagem, o personagem do tiozão'. E eu não fiz nada disso. Eu entrei lá e aí eu comecei a trocar mensagens e as pessoas que me conhecem, que têm contato comigo, sabem como eu sou, qual é o meu perfil que é de uma pessoa que gosta de brincar muito. Eu sei que é estranho dizer isso. O cara que faz o Jornal Nacional gosta de brincar muito. Eu sou brincalhão. Eu brinquei e fui eu mesmo. Os jovens começaram a achar profundamente engraçado", disse Bonner,.

"Eu sou um tiozão, eu tenho 57 anos hoje eu tinha 47 na época e estava lidando com jovens de 16, 17 às vezes até menos. Eles achavam isso um barato, o cara do Jornal Nacional estar ali fazendo graça, dando receita de brigadeiro. Isso era um prazer e eu ganhei um prêmio. Já se vão dez anos a graça acabou, Serginho. Virou um campo de batalha, não tem mais graça pra mim", completou.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247