Veja: Aécio simboliza a impunidade e faz os brasileiros de palhaços

Mesmo tendo negociado propinas de R$ 2 milhões, que foram entregues em malas a seu primo Fred Pacheco, o senador Aécio Neves (PSDB-MG), responsável pela destruição da democracia brasileira, conseguiu ser blindado pelo STF e pelo Senado, no golpe "com Supremo, com tudo"; apesar disso, ele começa a ser abandonado pelos aliados da mídia que tentaram colocá-lo na presidência; Veja, que o apoiou, decidiu convertê-lo no novo símbolo da impunidade – posição que até recentemente era de Paulo Maluf; enquanto isso, a Folha, de Otávio Frias Filho, ordena que ele saia da vida pública; os barões da mídia, no entanto, ainda não se desculparam por embarcar no golpismo aecista, que derrubou uma presidente honesta e a imagem do Brasil

Mesmo tendo negociado propinas de R$ 2 milhões, que foram entregues em malas a seu primo Fred Pacheco, o senador Aécio Neves (PSDB-MG), responsável pela destruição da democracia brasileira, conseguiu ser blindado pelo STF e pelo Senado, no golpe "com Supremo, com tudo"; apesar disso, ele começa a ser abandonado pelos aliados da mídia que tentaram colocá-lo na presidência; Veja, que o apoiou, decidiu convertê-lo no novo símbolo da impunidade – posição que até recentemente era de Paulo Maluf; enquanto isso, a Folha, de Otávio Frias Filho, ordena que ele saia da vida pública; os barões da mídia, no entanto, ainda não se desculparam por embarcar no golpismo aecista, que derrubou uma presidente honesta e a imagem do Brasil
Mesmo tendo negociado propinas de R$ 2 milhões, que foram entregues em malas a seu primo Fred Pacheco, o senador Aécio Neves (PSDB-MG), responsável pela destruição da democracia brasileira, conseguiu ser blindado pelo STF e pelo Senado, no golpe "com Supremo, com tudo"; apesar disso, ele começa a ser abandonado pelos aliados da mídia que tentaram colocá-lo na presidência; Veja, que o apoiou, decidiu convertê-lo no novo símbolo da impunidade – posição que até recentemente era de Paulo Maluf; enquanto isso, a Folha, de Otávio Frias Filho, ordena que ele saia da vida pública; os barões da mídia, no entanto, ainda não se desculparam por embarcar no golpismo aecista, que derrubou uma presidente honesta e a imagem do Brasil (Foto: Leonardo Attuch)

247 – O senador Aécio Neves (PSDB-MG) ocupa uma posição que, até recentemente, pertencia a Paulo Maluf.

Aécio passou a ser o corrupto que simboliza a impunidade, dá gargalhadas na cara da população e faz os brasileiros de palhaços.

É essa a mensagem transmitida pela capa desta semana, revista que, até recentemente, o apoiou de forma explícita e praticou golpes baixos na disputa presidencial de 2014, para tentar colocá-lo na presidência.

Mesmo tendo negociado propinas de R$ 2 milhões, que foram entregues em malas a seu primo Fred Pacheco, o senador Aécio Neves (PSDB-MG), responsável pela destruição da democracia brasileira, conseguiu ser blindado pelo STF e pelo Senado, no golpe "com Supremo, com tudo".

No entanto, todos os ex-aliados agora o abandonam.

Na Folha, de Otávio Frias Filho, ordena que ele saia da vida pública. "Sua presença na vida pública, como se nada de grave tivesse ocorrido, põe em risco a credibilidade e o equilíbrio do Judiciário e da Lava Jato. Fica no ar a impressão de que no meio político alguns são menos passíveis de punição do que outros. Deveria o senador retirar-se de cena e tratar de sua defesa —mas isso, ao que parece, é esperar demais de alguém que não tem exibido os requisitos éticos e morais para agir com grandeza", diz ele.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247