Viúva de Jango reage a Bolsonaro: '64 impôs violenta ditadura militar'

Maria Thereza Goulart, viúva do ex-presidente João Goulart, deposto por militares em 1964, criticou a recomendação de Jair Bolsonaro para que as Forças Armadas celebrem o golpe de 31 de março; ela disse: "negar o golpe de estado de 1964 que derrubou o governo constitucional, democrático e progressista do meu marido, o presidente João Goulart, é negar a própria história. É um desrespeito aos familiares daqueles que foram perseguidos, desaparecidos e mortos pela violenta ditadura militar"

Viúva de Jango reage a Bolsonaro: '64 impôs violenta ditadura militar'
Viúva de Jango reage a Bolsonaro: '64 impôs violenta ditadura militar' (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Maria Thereza Goulart, viúva do ex-presidente João Goulart, deposto por militares em 1964, criticou a recomendação de Jair Bolsonaro para que as Forças Armadas celebrem o golpe de 31 de março. Ela disse: "negar o golpe de estado de 1964 que derrubou o governo constitucional, democrático e progressista do meu marido, o presidente João Goulart, é negar a própria história. É um desrespeito aos familiares daqueles que foram perseguidos, desaparecidos e mortos pela violenta ditadura militar."

Confira a nota da coluna Radar, aqui

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247