'A China não quer guerra comercial, os EUA que começaram'

Ex-embaixador chinês Chen Duqing diz que os americanos "não podem impor sanções tarifárias contra todo mundo", e que até "podem ficar em primeiro lugar, mas não impedir outros de fazerem comércio"

Por Gisele Federicce, de Pequim - Em um momento em que a China expande cada vez mais intensamente investimentos no mundo, a guerra comercial iniciada pelo governo Donald Trump, dos Estados Unidos, é vista como uma atitude soberba pelos chineses, que insistem em afirmar não quer fazer parte disso.

"Não queremos guerra comercial. A guerra comercial foi iniciada por eles”, lembrou Chen Duqing, ex-embaixador e diretor do Centro de Estudo Brasileiro da Academia Chinesa de Ciências Sociais. A declaração foi feita durante o Seminário de Jornalistas e Oficiais de Imprensa dos Países de Língua Portuguesa, realizado em Pequim, do qual o Brasil 247 participa.

“Eles não podem impor sanções tarifárias contra todo mundo”, prosseguiu Duqing. “[Eles] podem ficar com o primeiro lugar, mas impedir outros, não podem”, disse ainda, ironizando o slogan do governo Trump, que prega ‘America First’ (América primeiro). “America First tudo bem. O que não pode é America Only", rebateu, em referência ao que, em seu entendimento, seria “apenas América”, sem competidores.

Os dois países vivem uma guerra comercial desde 2018, com elevação de tarifas a produtos ‘made in China’ por parte de Trump, argumentando que o gigante asiático prejudicava os empregos nos Estados Unidos. Desde que venceu as eleições, o presidente norte-americano já criou tarifas e elevou as já existentes para produtos que vão de aço, alumínio e placas solares a máquinas de lavar e bolsas.

O professor, que já morou por dez anos no Brasil, em diferentes períodos, fez um resgate histórico da política externa chinesa, que sempre buscou garantir um ambiente pacífico com outros países, de respeito mútuo e que assegure a soberania de cada nação. Nos últimos anos, os chineses intensificaram a política de reforma e abertura iniciada há quatro décadas. “O mundo é globalizado. Ninguém consegue se desenvolver isoladamente”, defendeu.

Nesse aspecto, voltou a criticar os EUA por interferirem em outros territórios. “Não queremos conflito, queremos respeito mútuo. Os EUA querem respeito unilateral. A eles!”, criticou. “Tem país que quer impor seus pontos de vista. Quer impor desordem em toda parte. Isso é muito ruim”, prosseguiu, dizendo ainda que os americanos não são exemplo para pregar suas ideologias ao redor do mundo. “Acham que são deuses”, concluiu.

Inscreva-se na TV 247 e assista uma pequena entrevista em que Chen Duqing fala sobre a relação com o Brasil no projeto da Rota da Seda:

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247