Acaba epidemia de ebola na Libéria, declara OMS

Doença foi erradicada da Libéria depois de 42 dias sem registo de novos casos, anunciou neste sábado (9)  representante da Organização Mundial da Saúde em Monróvia, capital do país; em um ano, a Libéria contabilizou mais de 4,7 mil mortos e 10,5 mil casos; pico da epidemia ocorreu entre agosto e setembro de 2014, com o registo de 300 a 400 novos casos semanais; no total, o vírus matou mais de 11 mil pessoas, em 26,5 mil casos identificados, sobretudo na Libéria, Serra Leoa e Guiné-Conacri

Doença foi erradicada da Libéria depois de 42 dias sem registo de novos casos, anunciou neste sábado (9)  representante da Organização Mundial da Saúde em Monróvia, capital do país; em um ano, a Libéria contabilizou mais de 4,7 mil mortos e 10,5 mil casos; pico da epidemia ocorreu entre agosto e setembro de 2014, com o registo de 300 a 400 novos casos semanais; no total, o vírus matou mais de 11 mil pessoas, em 26,5 mil casos identificados, sobretudo na Libéria, Serra Leoa e Guiné-Conacri
Doença foi erradicada da Libéria depois de 42 dias sem registo de novos casos, anunciou neste sábado (9)  representante da Organização Mundial da Saúde em Monróvia, capital do país; em um ano, a Libéria contabilizou mais de 4,7 mil mortos e 10,5 mil casos; pico da epidemia ocorreu entre agosto e setembro de 2014, com o registo de 300 a 400 novos casos semanais; no total, o vírus matou mais de 11 mil pessoas, em 26,5 mil casos identificados, sobretudo na Libéria, Serra Leoa e Guiné-Conacri (Foto: Realle Palazzo-Martini)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Da Agência Lusa

A epidemia de ebola foi erradicada da Libéria, depois de 42 dias sem registo de novos casos, anunciou nesta sábado (9) Alex Gasasira, representante da Organização Mundial da Saúde (OMS) na Monróvia, capital do país.

 “Hoje, 9 maio de 2015, a OMS declara a Libéria livre da transmissão do vírus do ebola”, disse ele em cerimônia com a presença da presidenta do país, Ellen Johnson Sirleaf.

 “Quarenta e dois dias passaram-se desde que o último caso foi confirmado em laboratório. A epidemia na Libéria acabou”, acrescentou Gasasira, ao destacar que essa é uma “conquista monumental” para o país.

O cálculo foi feito com base no duplo período de incubação máxima do vírus, 21 dias, depois da última morte, sem que tenham surgido novos casos.

Em um ano, a Libéria contabilizou mais de 4,7 mil mortos e 10,5 mil casos. O pico da epidemia ocorreu entre agosto e setembro de 2014, com o registo de 300 a 400 novos casos semanais.

Alex Gasasira elogiou a determinação do governo e da população do país em combater a epidemia, que foi a pior desde a detecção do vírus em 1976.

A presidenta agradeceu à população os esforços nesse sentido e lembrou os 189 profissionais que lutaram contra a doença e morreram.

Apesar do anúncio, a Libéria terá de manter a vigilância, uma vez que os países vizinhos Serra Leoa e Guiné-Conacri ainda enfrentam a epidemia.

No total, o vírus matou mais de 11 mil pessoas, em 26,5 mil casos identificados, sobretudo na Libéria, Serra Leoa e Guiné-Conacri.

 

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247