Acordo na Ucrânia não detém ofensiva antiterrorista

A unidade militar comandada pela Ucrânia para lidar com os separatistas pró-russos no leste do país vai continuar, apesar do acordo de quatro vias alcançado em Genebra, disseram autoridades de segurança nesta sexta-feira; "A operação antiterrorista ainda está em curso e quanto tempo ela vai continuar depende de quanto tempo os terroristas vão permanecer em nosso país", afirmou Marina Ostapenko, porta-voz do Serviço de Segurança da Ucrânia (SBU); o acordo de Genebra, acertado por Estados Unidos, Rússia, Ucrânia e União Europeia, exigirá que todos os grupos armados ilegais se desarmem além da desocupação ilegal de edifícios públicos, ruas e praças

Armed men sit on an armoured personnel carrier with a Russian flag on it in Slaviansk April 16, 2014. Six armoured troop carriers entered the eastern Ukrainian town of Slaviansk on Wednesday carrying the Russian national flag and the banner of pro-Russian
Armed men sit on an armoured personnel carrier with a Russian flag on it in Slaviansk April 16, 2014. Six armoured troop carriers entered the eastern Ukrainian town of Slaviansk on Wednesday carrying the Russian national flag and the banner of pro-Russian (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Reuters - A unidade militar comandada pela Ucrânia para lidar com os separatistas pró-russos no leste do país vai continuar, apesar do acordo de quatro vias alcançado em Genebra, disseram autoridades de segurança nesta sexta-feira.

"A operação antiterrorista ainda está em curso e quanto tempo ela vai continuar depende de quanto tempo os terroristas vão permanecer em nosso país", afirmou Marina Ostapenko, porta-voz do Serviço de Segurança da Ucrânia (SBU), a jornalistas.

O acordo de Genebra, acertado por Estados Unidos, Rússia, Ucrânia e União Europeia, exigirá que todos os grupos armados ilegais se desarmem.

A declaração também estabeleceu o fim da ocupação ilegal de edifícios públicos, ruas e praças, e deu um papel de liderança para supervisionar o acordo para monitores da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa.

A Ucrânia anunciou uma operação apoiada pelos militares na semana passada para expulsar os rebeldes pró-russos que tomaram edifícios do Estado, incluindo delegacias de polícia na região de Donbass.

(Reportagem de Richard Balmforth)

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247