Adversários fazem acordo para barrar avanço de Trump nos EUA

Candidatos republicanos Ted Cruz e John Kasich anunciaram um acordo para deter o avanço da candidatura do magnata Donald Trump, líder na corrida eleitoral que vai escolher o representante do Partido Republicano nas eleições presidenciais dos Estados Unidos em novembro deste ano; acordo, sem precedentes na história eleitoral dos EUA, consiste em ceder um ao outro os estados que ainda vão eleger delegados do partido e, assim, ganhar energia para a convenção nacional do Partido Republicano, marcada para julho; anúncio do acordo foi feito uma semana depois da vitória de Donald Trump nas eleições primárias de Nova York

Candidatos republicanos Ted Cruz e John Kasich anunciaram um acordo para deter o avanço da candidatura do magnata Donald Trump, líder na corrida eleitoral que vai escolher o representante do Partido Republicano nas eleições presidenciais dos Estados Unidos em novembro deste ano; acordo, sem precedentes na história eleitoral dos EUA, consiste em ceder um ao outro os estados que ainda vão eleger delegados do partido e, assim, ganhar energia para a convenção nacional do Partido Republicano, marcada para julho; anúncio do acordo foi feito uma semana depois da vitória de Donald Trump nas eleições primárias de Nova York
Candidatos republicanos Ted Cruz e John Kasich anunciaram um acordo para deter o avanço da candidatura do magnata Donald Trump, líder na corrida eleitoral que vai escolher o representante do Partido Republicano nas eleições presidenciais dos Estados Unidos em novembro deste ano; acordo, sem precedentes na história eleitoral dos EUA, consiste em ceder um ao outro os estados que ainda vão eleger delegados do partido e, assim, ganhar energia para a convenção nacional do Partido Republicano, marcada para julho; anúncio do acordo foi feito uma semana depois da vitória de Donald Trump nas eleições primárias de Nova York (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

José Romildo, correspondente da Agência Brasil - Os candidatos republicanos Ted Cruz e John Kasich anunciaram um acordo para deter o avanço da candidatura do magnata Donald Trump, líder na corrida eleitoral que vai escolher o representante do Partido Republicano nas eleições presidenciais dos Estados Unidos em novembro deste ano.

O acordo, sem precedentes na história eleitoral norte-americana, consiste em ceder um ao outro os estados que ainda vão eleger delegados do partido e, assim, ganhar energia para a convenção nacional do Partido Republicano, marcada para 18 de julho, em Cleveland, Ohio.

Pelo acordo, a campanha do candidato Ted Cruz, que é senador pelo Texas, vai concentrar tempo e recursos em Indiana, em 3 de maio, e deixar o caminho livre para o candidato John Kasich, governador de Ohio, fazer comícios e ganhar eleitores nos estados de Oregon e Novo México, em 17 de maio e 7 de junho, respectivamente.

Ao anunciar os entendimentos ontem (24) à noite, o coordenador da campanha de Ted Cruz, Jeff Roe, disse que o acordo visa a "garantir um candidato que unifique o Partido Republicano". Em um comunicado distribuído a jornalistas, o coordenador da campanha de John Kasich, John Weaver, informou que o comitê está "muito confiante" com a perspectiva de ganhar delegados nos estados previstos pelo acordo. "Vamos concentrar nosso tempo e recursos no Novo México e Oregon", disse Weaver.

O anúncio do acordo foi feito uma semana depois da vitória de Donald Trump nas eleições primárias de Nova York: ele conquistou 89 dos 95 delegados previstos, o que significa um cenário dramático para Cruz e para Kasich na convenção nacional republicana. Para ganhar a convenção, o candidato republicano precisa do apoio de 1.237 delegados.

Pesquisas

Ao anunciar o acordo, os comitês eleitorais de Cruz e Kasich não mencionaram as pesquisas que dão vitória a Donald Trump na Pensilvânia, um dos cinco estados que realizam primárias amanhã (26). Os outros são Connecticut, Delaware, Maryland e Rhode Island.

Segundo pesquisas da TV a cabo NBC News, do jornal Wall Street Journal e do instituto Marist, Trump tem o apoio, na Pensilvânia, de 45% do eleitorado, enquanto Ted Cruz e John Kasich estão, respectivamente, com 27% e 24%.

Resposta de Trump

A campanha de Donald Trump divulgou na madrugada de hoje (25) comunicado sobre o acordo de Cruz e Kasich de ceder um ao outro estados que ainda estão por realizar primárias antes da convenção do partido. "É triste que dois políticos adultos estejam conspirando contra uma pessoa que só tem sido um político por dez meses, a fim de tentar impedir essa pessoa de obter a nomeação republicana".

O acordo pode reacender as críticas de Trump à burocracia do Partido Republicano. De acordo com Trump, o partido tem adotado uma série de medidas burocráticas visando a "manipular" as eleições primárias, com o objetivo de beneficiar Cruz e Kasich, candidatos supostamente preferidos pela cúpula partidária. Os coordenadores do Partido Republicano têm negado com insistência as acusações de Trump de que o partido beneficie Cruz e Kasich.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email