Alberto Fernández anuncia que Argentina não pagará parcelas da dívida ao FMI nos próximos 3 anos

O presidente argentino Alberto Fernández apresentou o projeto de reestruturação da dívida de 46 bilhões de dólares, adquirida em 2018, durante o governo Mauricio Macri

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Revista Fórum - Nesta quinta-feira (16), após uma reunião na qual participaram governadores e líderes parlamentares governistas e opositores, o presidente da Argentina, Alberto Fernández, e o ministro da Economia, Martín Guzmán, anunciaram o projeto de reestruturação da dívida do país com o FMI (Fundo Monetário Internacional).

O principal ponto do projeto apresentado pelo governo é o estabelecimento de um período de carência de três anos, para que a Argentina só comece a pagar a dívida a partir de 2023.

“Enfrentaremos forças que jogarão pesado, com aliados dentro e fora do nosso país, mas temos que arcar com o compromisso que temos com a sociedade de nos unir em torno desta oferta, porque ela é a base uma recuperação econômica com desenvolvimento para todo o país”, afirmou Guzmán.

Guzmán também explicou que a oferta da Argentina aos credores externos representará uma retirada de 5,4% do capital da dívida e de 63% dos juros da mesma, e que os credores terão 20 dias para responder.

Leia mais aqui, na revista Fórum. 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247