Alta demanda faz maconha sumir das farmácias do Uruguai

Após a entrega inicial, os estoques de maconha das farmácias de Montevidéu, no Uruguai, se esgotaram no mesmo dia; um novo lote foi entregue após cinco dias e, novamente a demanda foi maior do que a oferta, e uma terceira leva foi planejada pelo governo três dias mais tarde; atualmente duas empresas cultivam a planta no país e têm capacidade de produzir quatro toneladas anuais para consumo interno

Maconha
Maconha (Foto: Giuliana Miranda)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Em quase dez dias de venda de maconha em farmácias no Uruguai, o número de interessados inscritos no país aumentou em mais de 75%: passou de 4.893 (em 19 de julho, início da atividade) para 8.585, registrados na última sexta-feira (28).

Esse montante já supera o de autocultivadores (pessoas que têm autorização para plantar cannabis em casa): 6.946, segundo dados do Ircca (Instituto de Regulação e Controle da Cannabis), órgão governamental responsável pelo sistema.

Após a entrega inicial, os estoques de maconha das farmácias de Montevidéu se esgotaram no mesmo dia, e um novo lote foi entregue após cinco dias. Novamente a demanda foi maior do que a oferta, e uma terceira leva foi planejada pelo governo três dias mais tarde.

Na manhã da última quinta-feira (27) estava prevista a chegada de novos lotes.

As informações são de reportagem de Denise Mota na Folha de S.Paulo.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247