Altman: o Brasil decidiu ser rabo de formiga no contexto global

Editor do site Opera Mundi, o jornalista Breno Altman concedeu entrevista à TV 247 e falou sobre a guinada da política externa brasileira, desde o golpe de 2016; "O Brasil desistiu de ser cabeça de elefante para se tornar rabo de formiga", diz ele; ou seja: em vez de apostar num projeto de ascensão soberana, o Brasil voltou a buscar uma inserção subalterna aos Estados Unidos; ele também sobre o acirramento da ação imperialista norte-americana

Editor do site Opera Mundi, o jornalista Breno Altman concedeu entrevista à TV 247 e falou sobre a guinada da política externa brasileira, desde o golpe de 2016; "O Brasil desistiu de ser cabeça de elefante para se tornar rabo de formiga", diz ele; ou seja: em vez de apostar num projeto de ascensão soberana, o Brasil voltou a buscar uma inserção subalterna aos Estados Unidos; ele também sobre o acirramento da ação imperialista norte-americana
Editor do site Opera Mundi, o jornalista Breno Altman concedeu entrevista à TV 247 e falou sobre a guinada da política externa brasileira, desde o golpe de 2016; "O Brasil desistiu de ser cabeça de elefante para se tornar rabo de formiga", diz ele; ou seja: em vez de apostar num projeto de ascensão soberana, o Brasil voltou a buscar uma inserção subalterna aos Estados Unidos; ele também sobre o acirramento da ação imperialista norte-americana (Foto: Leonardo Attuch)

Por Leonardo Attuch e Paulo Moreira Leite – Editor do site Opera Mundi, o jornalista Breno Altman concedeu entrevista exclusiva à TV 247 e falou sobre a guinada da política externa brasileira, desde o golpe de 2016. "O Brasil desistiu de ser cabeça de elefante para se tornar rabo de formiga", diz ele. Ou seja: em vez de apostar num projeto de ascensão soberana, o Brasil voltou a buscar uma inserção subalterna aos Estados Unidos, como ocorria antes dos governos Lula e Dilma.

Essa linha de ação do Itamaraty se combina com uma reorientação da política externa norte-americana. "Desde 2008, os Estados Unidos lançaram uma ofensiva para ocupar o subcontinente da América do Sul para reconstruir sua hegemonia", diz ele. 

Breno também falou sobre como os Estados Unidos têm usado investigações de corrupção, como a Lava Jato, como instrumento de guerra comercial. "Tenho convicção de que as investigações da NSA sobre a Petrobras também tiveram como subproduto o fornecimento de artilharia para a Lava Jato", afirma.

Inscreva-se na TV 247 e confira a entrevista:

Conheça a TV 247

Mais de Mundo

Ao vivo na TV 247 Youtube 247