Ameaça de intervenção dos EUA contra protestos na América Latina comprova neocolonialismo

A declaração do secretário de Estado Mike Pompeo, que prometeu ajuda na repressão a protestos populares contra governos amigos dos Estados Unidos na América do Sul, demonstra que o subcontinente foi recolonizado pelos Estados Unidos após iniciativas como o golpe de 2016 no Brasil e processos de lawfare, como o que atingiu o ex-presidente Lula. Por isso mesmo, Jair Bolsonaro nada fará contra a sobretaxa do aço nacional

Pompeo: EUA não cruzarão os braços quanto as ações da Rússia na Venezuela
Pompeo: EUA não cruzarão os braços quanto as ações da Rússia na Venezuela (Foto: REUTERS/Eloisa Lopez)

Do BR2ponstos – O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, afirmou que Washington vai “ajudar” os governos da América Latina que eles consideram “legítimos” para evitar que protestos.

Com o aumento das desigualdades e a escalada autoritária, países da América Latina como Bolívia, Chile, Colombia e Equador vivem um momento de conflagração social com massivos protestos exigindo mudanças.

Para os governo dos EUA, tais manifestações representam um perigo para os governo aliados. A declaração de Pompeo foi durante sua participação na Universidade de Louisville, em Kentucky, nesta segunda-feira (2).

O ministro disse que a intervenção dos EUA é porque os protestos “não refletem a vontade democrática do povo”.

Pompeo justificou a atuação do país no que chamou de controle de distúrbios porque os EUA, segundo ele, representa os “maior exemplo de democracia da história do mundo”.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247