Americanos dizem ter sido alvo de disparo de ondas eletromagnéticas em Bogotá

Cuba nega a existência da Síndrome de Havana, que oficiais americanos descrevem como sendo causada pelo disparo de ondas eletromagnéticas

Embaixada dos EUA em Bogotá
Embaixada dos EUA em Bogotá (Foto: Google Maps)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - Pelo menos cinco famílias associadas à Embaixada dos Estados Unidos em Bogotá, na Colômbia, apresentaram vertigem súbita, náusea, dor de cabeça e no pescoço e falta de concentração, sintomas da chamada "síndrome de Havana", informa o jornal The Wall Street Journal

Alguns tiveram de ser retirados da Colômbia, afirmou uma fonte do Departamento de Estado norte-americano à CNN. Os afetados pela doença, a maioria funcionários da CIA, descrevem ainda um som intenso e doloroso nos ouvidos. 

Cuba nega a existência da doença, que oficiais americanos descrevem como sendo causada pelo disparo de ondas eletromagnéticas. Supostamente, os alvos seriam diplomatas dos EUA e Canadá em seu território. 

PUBLICIDADE

Não há "evidências científicas dos ataques" desta natureza, segundo relatório montado por especialistas, incluindo neurocientistas, físicos, psicológicos e otorrinolaringologistas afiliados à Academia de Ciências de Cuba. Os cientistas sugerem que algumas das explicações propostas violam as leis básicas da física.

Sintomas semelhantes foram relatados em outros países, como nos próprios Estados Unidos, China, Alemanha, Austrália e Áustria

PUBLICIDADE

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email