Aniversário do assassinato do general Soleimani é marcado por marchas contra os EUA

O jornal estadunidense The Washington Times destaca que milhares de iraquianos lançaram palavras de ordem em manifestações contrárias aos Estados Unidos, chamados de "grande Satã"

(Foto: Sputnik)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Uma reportagem publicada neste domingo pelo Washington Post sobre a manifestação de iraquianos na praça Al-Tahrir em Bagdá, capital do país árabe, e em outras cidades, sublinhou que os participantes, em Bagdá, içando a bandeira nacional e portando fotografías do general Soleimani, se dirigiram ao Aeroporto Internacional da cidade, onde foi perpetrado o atentado terrorista pelos EUA contra Qasem Soleimani e seus companheiros e exigiram a saída das tropas estadunidenses do Iraque, informa a HispanTV.

“A manifestação em Bagdá foi acompanhada por outras na Síria, Iêmen, Líbano e outras partes da região”, acrescenta o jornal norte-americano. 

Ainda no domingo, o comandante-em-chefe do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica (IRGC) do Irã, o general de divisão Hosein Salami condenou o assassinaro de Soleimani, ocorrido um ano atrás. , sobre a expulsão das forças americanas da área.

"Estamos preparados para vingar o sangue dos mártires e libertar os muçulmanos para sempre da hegemonia política, econômica e cultural dos Estados Unidos", diz ou The Washington Times, citando Salami. 

O comandante da Fuerza Quds do CGRI de Irán, assassinado há um ano por ordem do presidente dos EUA, Donald Trump, é considerado por muitos o responsável pela luta contra o terrprosmo na região do Oriente Médio.

O estrategista militar iraniano foi assassinado no dia 3 de janeiro de 2020 junto com o subcomandante das Unidades de Movilización Popular (Al-Hashad Al-Shabi, em árabe), Abu Mahdi al-Muhandis, em um ataque em Bagdá, ordenado pelo presidente estadunidense , Donald Trump.

O Parlamento do Iraque respondeu no mesmo mês de janeiro do ano passado exigindo a saída das tropas norteamericanas do país árabe, país que invadiram em 2003. 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email