Ao tentar justificar golpe, militares de Mianmar dizem que não tiveram outra opção a não ser tomar o poder

Porta-voz das Forças Armadas de Mianmar diz que objetivo da junta militar é realizar eleições e entregar o poder político ao partido vencedor

(Foto: Sputnik)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sputnik - As Forças Armadas de Mianmar comunicaram nesta terça-feira (16) que sua única alternativa foi tomar o poder. Segundo o porta-voz, o general de brigada Zaw Min Tun, o objetivo da junta militar é realizar eleições e entregar o poder político ao partido vencedor. Ele afirmou ainda que os protestos em andamento no país contra os militares estão incitando à violência e fazendo pressão ilegal sobre os servidores públicos civis.

Ao mesmo tempo, o representante militar afirmou que as Forças Armadas do país garantem a realização de eleições. Apesar da promessa de eleições, o general não anunciou nenhuma data para o sufrágio. 

"Nosso objetivo é realizar uma eleição e passar o poder para o partido vencedor", disse Min Tun.

Neste momento, está em vigor no país um estado de emergência com duração de um ano.

Enquanto isso, os militares continuarão o caminho do do acordo de "cessar-fogo nacional".

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email