Apesar de ataques terroristas, Catalunha mantém plano de referendo sobre independência

Os recentes ataques terroristas praticados na Catalunha não irão afetar o plano da região de realizar um referendo sobre sua independência da Espanha, afirmou o presidente da região, Carles Puigdemont; segundo ele, os ataques terroristas não devem ser confundidos com as questões "prioritárias" do público catalão, como o voto sobre a independência; em Barcelona e Cambrils, terroristas usaram carros para atacar multidões, deixando um saldo de 15 mortos e mais de 130 pessoas feridas


Os recentes ataques terroristas praticados na Catalunha não irão afetar o plano da região de realizar um referendo sobre sua independência da Espanha, afirmou o presidente da região, Carles Puigdemont; segundo ele, os ataques terroristas não devem ser confundidos com as questões "prioritárias" do público catalão, como o voto sobre a independência; em Barcelona e Cambrils, terroristas usaram carros para atacar multidões, deixando um saldo de 15 mortos e mais de 130 pessoas feridas
Os recentes ataques terroristas praticados na Catalunha não irão afetar o plano da região de realizar um referendo sobre sua independência da Espanha, afirmou o presidente da região, Carles Puigdemont; segundo ele, os ataques terroristas não devem ser confundidos com as questões "prioritárias" do público catalão, como o voto sobre a independência; em Barcelona e Cambrils, terroristas usaram carros para atacar multidões, deixando um saldo de 15 mortos e mais de 130 pessoas feridas (Foto: Leonardo Lucena)

Agência Sputnik - Os recentes ataques terroristas praticados na Catalunha não irão afetar o plano da região de realizar um referendo sobre sua independência da Espanha, afirmou o presidente da região, Carles Puigdemont.

Na quinta-feira (17), em Barcelona e Cambrils, terroristas usaram carros para atacar multidões, deixando um saldo de 15 mortos e mais de 130 pessoas feridas. O Daesh revindicou a autoria do ataque em Barcelona.

Puigdemont disse à estação de rádio Onda Cero que os ataques terroristas não devem ser confundidos com as questões "prioritárias" do público catalão, como o voto sobre a independência, conforme citado pelo jornal El País.

 

A Catalunha busca a independência há anos. Em novembro de 2014, cerca de 80% dos votantes da Catalunha em um referendo extraoficial expressaram sua vontade de tornar a região um Estado independente da Espanha.

Apesar da pressão de Madri, Puigdemont já afirmou que irá realizar um referendo sobre a independência no primeiro dia de Outubro, não importa a posição da capital.

Conheça a TV 247

Mais de Mundo

Ao vivo na TV 247 Youtube 247