Após ameaça de suspensão de voos, Pompeo e Araújo discutem resposta à Covid-19

A conversa telefônica aconteceu dias após o presidente dos EUA, Donald Trump, sugerir que Washington poderia interromper todos os voos vindos de cidades brasileiras. Jair Bolsonaro foi criticado por ignorar as recomendações da Organização Mundial da Saúde

Ministro Ernesto Araújo e o Secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo
Ministro Ernesto Araújo e o Secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo (Foto: Rafael Beltrami/MRE)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sputnik - O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, e o ministro das Relações Exteriores do Brasil, Ernesto Araújo, discutiram a necessidade de coordenar os esforços para combater a pandemia do novo coronavírus, disse a porta-voz do Departamento de Estado, Morgan Ortagus.

A conversa telefônica aconteceu dias após o presidente dos EUA, Donald Trump, sugerir que Washington poderia interromper todos os voos vindos de cidades brasileiras, em razão do avanço da COVID-19 com rapidez no país sul-americano.

O presidente Jair Bolsonaro foi criticado por ignorar as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre como lidar com a crise da saúde. Também nesta semana, Ciro Gomes, vice-presidente do Partido Democrata do Trabalho (PDT), declarou à Sputnik que Bolsonaro mostrou uma "abordagem genocida" ao minimizar a pandemia.

"Pompeo e o ministro das Relações Exteriores Araújo discutiram a importância de uma resposta coordenada para combater a pandemia da COVID-19 através do aumento da produção de suprimentos médicos nas Américas e da cooperação aprimorada em terapia e desenvolvimento de vacinas", informou Ortagus na quarta-feira (29).

Antes da ameaça da suspensão dos voos, Washington também recomendou que cidadãos estadunidenses deixassem alguns países, dentre os quais o Brasil, em razão da evolução da doença.

Os Estados Unidos têm mais de 1 milhão de casos de coronavírus, incluindo mais de 60 mil mortes, enquanto o Brasil tem quase 80 mil casos e 5.500 mortes, segundo dados da Universidade Johns Hopkins atualizados na noite de quarta-feira.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247