Após redução de três anos, emissões de gases estufa aumentaram em 2017

Com detalhes do abismo entre a real situação das emissões de gás carbônico e aquela que seria desejável, o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) divulgou nesta terça-feira (27) seu relatório anual sobre a emissão de gases de efeito estufa, destacando como as emissões de CO2 aumentaram em 2017; para agravar mais ainda o quadro, o futuro governo, que não acredita no efeito estufa, declarou que irá retirar sua candidatura para sediar a COP-25 (Conferência das Partes da Convenção do Clima das Nações Unidas)

Após redução de três anos, emissões de gases estufa aumentaram em 2017
Após redução de três anos, emissões de gases estufa aumentaram em 2017 (Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas)

247 - Com detalhes do abismo entre a real situação das emissões de gás carbônico e aquela que seria desejável, o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) divulgou nesta terça-feira 27 seu relatório anual sobre a emissão de gases de efeito estufa, antes da cúpula climática COP24 na próxima semana na Polônia, segundo apontou reportagem da Carta Capital. 

O relatório também destaca como as emissões de CO2 aumentaram em 2017 após uma redução de três anos, refreando o otimismo de que as emissões globais possam estar chegando ao máximo.

O relatório concluiu que os atuais compromissos assumidos pelos países no Acordo de Paris estão aquém do necessário para manter o aquecimento global abaixo de 2°C. O lapso entre a real situação da proteção climática e aquela que realmente precisa-se alcançar é conhecido como o hiato de emissões.

O Pnuma adverte que, se não for fechado o hiato de emissões até 2030, a possibilidade de limitar o aquecimento a um máximo de 2° Celsius será inacessível. O relatório também levanta preocupações sobre a minguante probabilidade de alcançar o teto de aquecimento de 1,5°C, muito mais desejável.

Se as tendências atuais continuarem como estão, o aquecimento provavelmente atingirá 3,2°C até o final do século, de acordo com os autores do relatório.

Brasil: na contramão da sobrevivência do planeta 

Apesar dos dados alarmantes sobre o efeito estufa, o País segue na contramão dos avanços ambientais e comunicou oficialmente que vai retirar sua candidatura para sediar a COP-25 (Conferência das Partes da Convenção do Clima das Nações Unidas), destinada a negociar a implementação do Acordo de Paris, de 11 a 22 de novembro de 2019. O Itamaraty informou sobre a decisão ao Secretariado da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima da Organização das Nações Unidas.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247