Após suspender reunião com Coreia do Sul, Coreia do Norte ameaça não ir ao encontro com Trump

A Coreia do Norte colocou em dúvida a cúpula entre o líder Kim Jong Un e o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ameaçando semanas de progresso diplomático ao dizer que pode reconsiderar o encontro se Washington insistir que Pyongyang desista unilateralmente de suas armas nucleares; reunião de cúpula entre Trump e Kim está marcada para o dia 12 de junho, em Cingapura

A Coreia do Norte colocou em dúvida a cúpula entre o líder Kim Jong Un e o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ameaçando semanas de progresso diplomático ao dizer que pode reconsiderar o encontro se Washington insistir que Pyongyang desista unilateralmente de suas armas nucleares; reunião de cúpula entre Trump e Kim está marcada para o dia 12 de junho, em Cingapura
A Coreia do Norte colocou em dúvida a cúpula entre o líder Kim Jong Un e o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ameaçando semanas de progresso diplomático ao dizer que pode reconsiderar o encontro se Washington insistir que Pyongyang desista unilateralmente de suas armas nucleares; reunião de cúpula entre Trump e Kim está marcada para o dia 12 de junho, em Cingapura (Foto: Paulo Emílio)

Reuters - A Coreia do Norte colocou em dúvida nesta quarta-feira a cúpula entre o líder Kim Jong Un e o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ameaçando semanas de progresso diplomático ao dizer que pode reconsiderar o encontro se Washington insistir que Pyongyang desista unilateralmente de suas armas nucleares.

A agência oficial de notícias norte-coreana KCNA informou que Pyongyang cancelou conversações de alto nível com Seul que deveriam ocorrer nesta quarta-feira, no primeiro sinal de problemas no relacionamento entre os vizinhos após meses de aproximação.

Mais tarde, o vice-ministro das Relações Exteriores norte-coreano, Kim Kye Gwan, disse, segundo a KCNA, que o destino da cúpula EUA-Coreia do Norte, bem como das relações bilaterais, "ficaria claro" se os Estados Unidos falassem de uma desnuclearização ao "estilo da Líbia" para a Coreia do Norte.

"Se os EUA estão tentando nos colocar em uma parede para forçar nosso abandono nuclear unilateral, não estaremos interessados ​​em tal diálogo e não podemos deixar de reconsiderar nosso procedimento para a cúpula RPDC-EUA", disse Kim Kye Gwan, referindo-se à Coreia do Norte por seu nome oficial, a República Popular Democrática da Coreia.

A cúpula entre Trump e Kim está marcada para o dia 12 de junho, em Cingapura.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247