Araújo critica países que querem diálogo e joga lenha na fogueira da Venezuela

O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, criticou os países que defendem uma saída pacífica para a crise política na Venezuela, segundo ele, ao pregarem a necessidade de diálogo entre o presidente Nicolás Maduro e o oposicionist Juan Guaidó, esses países estariam "inconformados" com "o extraordinário movimento pela redemocratização da Venezuela"; Embora não tenha citado qualquer país diretamente, a crítica velada do chanceler alcança os governos do México e Uruguai que pregam uma saída dialogada para o impasse

Araújo critica países que querem diálogo e joga lenha na fogueira da Venezuela
Araújo critica países que querem diálogo e joga lenha na fogueira da Venezuela (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, criticou os países que defendem uma saída pacífica para a crise política na Venezuela. No Twittter, o chanceler disse ao pregarem a necessidade de diálogo entre o presidente Nicolás Maduro e o oposicionista autoproclamado presidente interino Juan Guaidó, esses países estariam "inconformados" com "o extraordinário movimento pela redemocratização da Venezuela".

"O extraordinário movimento pela redemocratização da Venezuela está se avolumando sob a presidência de Juan Guaidó. Inconformados, países que apoiam ou toleram Maduro querem criar "grupos de contato" ou "diálogo" com seu regime ilegítimo. Isso só serve p/ dar sobrevida à ditadura", postou Araújo no Twitter. Embora não tenha citado qualquer país diretamente, a crítica velada do chanceler alcança os governos do México e Uruguai que pregam uma saída dialogada para o impasse.

Nesta semana, o México e o Uruguai anunciaram que pretendem realizar uma conferência internacional, juntamente com outras nações e organizações que adotaram uma posição de neutralidade em relação à Venezuela como forma de criar uma forma de diálogo em "em resposta ao chamado do secretário-geral da ONU, António Guterres".

Guterres defende uma maior pressão para que Maduro deixe o poder na Venezuela e a iniciativa conta com o apoio dos Estados Unidos, que vem ampliando a pressão sobre o governo venezuelano. O Brasil vem se alinhando a política externa norte-americana e também defende a saída imediata de Nicolás Maduro.

Confira o Twitter de Ernesto Araújo sobre o assunto. 

 

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247