Argentina adia eleições por cinco semanas por causa da Covid-19

Governo do presidente Alberto Fernández e a oposição concordaram em adiar as eleições primárias e as eleições legislativas de meio de mandato por cinco semanas devido à pandemia. As eleições primárias foram remarcadas para 12 de setembro e a geral para 14 de novembro

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sputnik - O governo da Argentina e a oposição concordaram em adiar as eleições primárias dos partidos e as eleições legislativas de meio de mandato por cinco semanas devido à pandemia de COVID-19.

A informação foi confirmada pelo Ministério do Interior do país em um comunicado de imprensa.

"O Ministro do Interior, Wado de Pedro, e o presidente da Câmara dos Deputados, Sergio Massa, se reuniram hoje a pedido do presidente Alberto Fernández com os diferentes chefes de blocos, com os quais concordaram em adiar as eleições primárias para 12 de setembro e geral para 14 de novembro, tendo em conta o contexto atual da pandemia", comunicou o ministério.

A reunião foi realizada virtualmente em um momento em que a Argentina vive um novo pico de casos e mortes por doenças respiratórias.

De Pedro disse que ter conseguido o adiamento "é poder ganhar um mês em cada um dos órgãos eleitorais para que mais argentinos possam ser vacinados. A cada dia que ganhamos para vacinar mais vidas são salvas", segundo o comunicado.

Até esta sexta-feira (7), a Argentina tinha 3.118.134 casos desde que a pandemia foi declarada em março de 2020 e 66.872 mortes, enquanto vacinou 8.951.821 pessoas.

 Inscreva-se no canal Cortes 247 e saiba mais: 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email