Argentina convida União Europeia a desconsiderar ilhas Malvinas 'território ultramarino' britânico

Durante uma reunião na Embaixada da Alemanha em Buenos Aires, Argentina, da qual participaram representantes de cerca de 20 países, Solá levantou, durante seu discurso, a importância para o governo argentino da situação das Ilhas Malvinas após o acordo com o governo britânico e a União Europeia (UE), no âmbito do Brexit

(Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sputnik - Buenos Aires tem aumentando as reivindicações sobre o arquipélago, que é detido pelo Reino Unido, pedindo que o território fosse classificado como área em disputa internacional.

Em meio à saída do Reino Unido da União Europeia (UE), o ministro das Relações Exteriores argentino Felipe Solá pediu aos embaixadores do bloco que retirassem as Ilhas Malvinas, a Geórgia do Sul e as Ilhas Sandwich do Sul da lista de "países e territórios ultramarinos", e que não reconhecessem a soberania do Reino Unido sobre as ilhas.

Durante uma reunião na Embaixada da Alemanha em Buenos Aires, Argentina, da qual participaram representantes de cerca de 20 países, Solá levantou, durante seu discurso, a importância para o governo argentino da situação das Ilhas Malvinas após o acordo com o governo britânico e a União Europeia (UE), no âmbito do Brexit.

Na reunião na embaixada alemã, Solá solicitou que os territórios das Malvinas, Geórgia do Sul e Sandwich do Sul fossem retirados da lista de "países e territórios ultramarinos", já que estão incluídos no regime de associação estabelecido pelos regulamentos da Comunidade Europeia, que permitem benefícios comerciais em favor do bloco, de acordo com o jornal La Nación.

O ministro das Relações Exteriores da Argentina já referiu isso aos representantes do bloco em junho.

"Pedimos especialmente ao chanceler da União Europeia [Josep Borrell], e eu falei com o chanceler da França e o chanceler da Espanha, que as Ilhas Malvinas não fossem incluídas nas negociações entre a UE e o Reino Unido, mas sim que permanecessem como uma área em disputa internacional e, portanto, não fossem incluídas nas negociações", revelou o jornal Clarín.

O governo de Alberto Fernández, presidente da Argentina, sublinhou a reivindicação da soberania das Malvinas como parte do território do país sul-americano. O Congresso da Argentina aprovou um pacote de leis reforçando as sanções contra a pesca ilegal, criou o Conselho Nacional para Assuntos das Ilhas Malvinas, e inclusive estabeleceu uma nova demarcação do limite externo da plataforma continental argentina.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247