Argentina registra inflação mais alta em 14 anos

Presidente Mauricio Macri reconheceu em uma entrevista coletiva que "a inflação é de responsabilidade do governo" e assegurou que "a inflação no segundo semestre vai cair drasticamente, porque estamos fazendo as coisas direito"

Presidente Mauricio Macri reconheceu em uma entrevista coletiva que "a inflação é de responsabilidade do governo" e assegurou que "a inflação no segundo semestre vai cair drasticamente, porque estamos fazendo as coisas direito"
Presidente Mauricio Macri reconheceu em uma entrevista coletiva que "a inflação é de responsabilidade do governo" e assegurou que "a inflação no segundo semestre vai cair drasticamente, porque estamos fazendo as coisas direito" (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Jornal do Brasil - Matéria publicada no jornal El País, comenta que gás, água e transporte já podem ser considerados artigo luxo para os argentinos e se tornaram as principais referências da inflação que não para de subir.

Segundo a reportagem, duas novas pesquisas realizadas por consultores privados mostram que os números da inflação de abril apontam para 6,9% e 7,2% no relatório. Este é o maior registros dos últimos 14 anos.

"Seria ótimo não ter que fazer nenhum aumento, mas a realidade é que todos nós sabemos que estamos com uma economia à beira do colapso", disse o presidente Mauricio Macri.

O presidente Argentino falou aos jornalistas nesta terça-feira (3) e reiterou que as medidas impopulares tomadas nos primeiros quatro meses de sua gestão são parte de um esforço de recuperação da economia e reinserção da Argentina no mercado internacional.

Segundo El País, o presidente Macri reconheceu em uma entrevista coletiva que "a inflação é de responsabilidade do governo".

"A inflação no segundo semestre vai cair drasticamente, porque estamos fazendo as coisas direito. Nós dirigimos um desequilibrado governo, sem planejamento e a corrupção a um governo que sabe como lidar com as contas públicas".

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email