Ataque ao Tik Tok e WeChat é bullying de Trump contra a China, diz porta-voz

Dois dias antes de Donald Trump assinar os decretos de proibição de negócios com as empresas dos aplicativos Tik Tok e WeChat, o porta-voz da Chancelaria do gigante asiático já tinha acusado os EUA de fazer bullying contra empresas chinesas de tecnologia

Wang Wenbin, porta-voz da chancelaria chinesa
Wang Wenbin, porta-voz da chancelaria chinesa (Foto: Diário do Povo on line)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Durante uma entrevista coletiva enquanto comentava as ameaças de Donald Trump aos aplicativos chineses, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Wang Wenbin, disse na terça-feira (4) que a China se opõe firmemente ao flagrante bullying do lado norte-americano, violando as regras da economia de mercado e os princípios de abertura, não discriminação e transparência da Organização Mundial do Comércio.

"É um ato flagrante de bullying, ao qual a China se opõe firmemente. Percebemos que também atraiu uma enxurrada de críticas e dúvidas nos Estados Unidos e na comunidade internacional", acrescentou Wang, segundo a Xinhua.

Nesta quinta-feira (6), Donald Trump emitiu duas ordens executivas proibindo que qualquer residente ou empresa nos Estados Unidos façam negócios com a ByteDance, dona do aplicativo TikTok, e com a Tencent, dona do WeChat. A alegação é a "segurança nacional" e "acesso de dados pelo Partido Comunista".

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247