Ataque com carro-bomba mata pelo menos 18 soldados na Turquia

Nove soldados turcos foram mortos e mais de 20 pessoas ficaram feridas neste domingo, quando supostos militantes curdos detonaram um carro-bomba que destruiu um ponto de verificação perto de uma delegacia de polícia no sudeste do país, disseram fontes de segurança; a explosão atingiu a estação de Durak, 20 km (12 milhas) da cidade de Semdinli, em uma parte montanhosa da província de Hakkari, perto da fronteira com o Iraque e Irã, onde militantes do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) estão ativos

Nove soldados turcos foram mortos e mais de 20 pessoas ficaram feridas neste domingo, quando supostos militantes curdos detonaram um carro-bomba que destruiu um ponto de verificação perto de uma delegacia de polícia no sudeste do país, disseram fontes de segurança; a explosão atingiu a estação de Durak, 20 km (12 milhas) da cidade de Semdinli, em uma parte montanhosa da província de Hakkari, perto da fronteira com o Iraque e Irã, onde militantes do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) estão ativos
Nove soldados turcos foram mortos e mais de 20 pessoas ficaram feridas neste domingo, quando supostos militantes curdos detonaram um carro-bomba que destruiu um ponto de verificação perto de uma delegacia de polícia no sudeste do país, disseram fontes de segurança; a explosão atingiu a estação de Durak, 20 km (12 milhas) da cidade de Semdinli, em uma parte montanhosa da província de Hakkari, perto da fronteira com o Iraque e Irã, onde militantes do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) estão ativos (Foto: Romulo Faro)

DIYARBAKIR, Turquia (Reuters) - Nove soldados turcos foram mortos e mais de 20 pessoas ficaram feridas neste domingo, quando supostos militantes curdos detonaram um carro-bomba que destruiu um ponto de verificação perto de uma delegacia de polícia no sudeste do país, disseram fontes de segurança.

A explosão atingiu a estação de Durak, 20 km (12 milhas) da cidade de Semdinli, em uma parte montanhosa da província de Hakkari, perto da fronteira com o Iraque e Irã, onde militantes do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) estão ativos.

Autoridades estavam em alerta para possíveis ataques no domingo, que marca os 18 anos do dia que o líder do PKK, Abdullah Ocalan, fugiu para a Síria antes de ser capturado pelas forças especiais turcas em fevereiro do ano seguinte.

Desde então, ele está preso em uma ilha perto de Istambul.

No sábado, um homem e uma mulher que autoridades suspeitam serem militantes do PKK preparando um ataque com carro-bomba, detonaram explosivos e se mataram perto da capital Ankara em um conflito com a polícia.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247