Ataques no Congo deixam 40 homens mortos

Grupo com cerca de 70 terroristas tentou invadir a sede da Rádio e Televisão Nacional Congolesa, o aeroporto internacional e a sede do Estado Maior, na Repúbica Democrática do Congo; porta-voz do governo, Lambert Mende, informou que “16 homens morreram no aeroporto, oito na emissora de rádio e 16 na sede do Estado Maior. Não há informações sobre vítimas civis, nem de vítimas entre as forças de segurança”

Soldiers from the United Nations intervention brigade exchange information next to a village during a patrol in Virunga National Park in the Democratic Republic of Congo, December 17, 2013. REUTERS/Kenny Katombe (DEMOCRATIC REPUBLIC OF CONGO - Tags: CIVIL
Soldiers from the United Nations intervention brigade exchange information next to a village during a patrol in Virunga National Park in the Democratic Republic of Congo, December 17, 2013. REUTERS/Kenny Katombe (DEMOCRATIC REPUBLIC OF CONGO - Tags: CIVIL (Foto: José Barbacena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Da Agência Telesur

Brasília – Pelo menos 40 homens morreram nesta segunda-feira (30) em Kinshasa, capital da República Democrática do Congo, quando tentavam invadir a sede da Rádio e Televisão Nacional Congolesa, o aeroporto internacional e a sede do Estado Maior.

O porta-voz do governo, Lambert Mende, informou que “16 homens morreram no aeroporto, oito na emissora de rádio e 16 na sede do Estado Maior. Não há informações sobre vítimas civis, nem de vítimas entre as forças de segurança”.

Lambert Mende disse que os autores do ataque ainda não foram identificados. “Nossa cidade sofreu um ataque terrorista por um grupo ainda não identificado. Os homens tinham o único objetivo de semear pânico e terror um dia antes da celebração das festas de Ano Novo”, afirmou.

PUBLICIDADE

Os ataques foram feitos por cerca de 70 homens, dos quais 40 foram mortos, segundo os cálculos oficiais.

No último dia 16, pelo menos 21 pessoas foram mortas e alguns corpos mutilados em um ataque de "extrema brutalidade", segundo a missão da ONU no país. A maioria das vítimas foi assassinada com armas brancas, nas aldeias Musuku e Mwenda, província de Kivu do Norte.

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE

Apoie o 247

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email