Ataques reduziram receitas do Estado Islâmico em 30%

Ataques aéreos contra instalações petrolíferas do Estado Islâmico realizados por uma coalizão liderada pelos Estados Unidos resultaram em um corte de cerca de 30 por cento nas receitas de petróleo do grupo militante desde outubro, afirmou nesta quarta-feira um porta-voz da coalizão; tal esforço tem contabilizado até agora 65 ataques aéreos, afirmou em entrevista coletiva o coronel Steve Warren, porta-voz em Bagdá para a campanha liderada pelos Estados Unidos; antes da campanha, o Estado Islâmico produzia 45.000 barris de petróleo por dia, agora, produz cerca de 34 mil barris por dia, afirmou Warren

Ataques aéreos contra instalações petrolíferas do Estado Islâmico realizados por uma coalizão liderada pelos Estados Unidos resultaram em um corte de cerca de 30 por cento nas receitas de petróleo do grupo militante desde outubro, afirmou nesta quarta-feira um porta-voz da coalizão; tal esforço tem contabilizado até agora 65 ataques aéreos, afirmou em entrevista coletiva o coronel Steve Warren, porta-voz em Bagdá para a campanha liderada pelos Estados Unidos; antes da campanha, o Estado Islâmico produzia 45.000 barris de petróleo por dia, agora, produz cerca de 34 mil barris por dia, afirmou Warren
Ataques aéreos contra instalações petrolíferas do Estado Islâmico realizados por uma coalizão liderada pelos Estados Unidos resultaram em um corte de cerca de 30 por cento nas receitas de petróleo do grupo militante desde outubro, afirmou nesta quarta-feira um porta-voz da coalizão; tal esforço tem contabilizado até agora 65 ataques aéreos, afirmou em entrevista coletiva o coronel Steve Warren, porta-voz em Bagdá para a campanha liderada pelos Estados Unidos; antes da campanha, o Estado Islâmico produzia 45.000 barris de petróleo por dia, agora, produz cerca de 34 mil barris por dia, afirmou Warren (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

WASHINGTON (Reuters) - Ataques aéreos contra instalações petrolíferas do Estado Islâmico realizados por uma coalizão liderada pelos Estados Unidos resultaram em um corte de cerca de 30 por cento nas receitas de petróleo do grupo militante desde outubro, afirmou nesta quarta-feira um porta-voz da coalizão.

Em outubro, militares norte-americanos passaram a intensificar os esforços visando encontrar infraestruturas petrolíferas controladas pelo Estado Islâmico em uma operação conhecida por "Tidal Wave II".

Tal esforço tem contabilizado até agora 65 ataques aéreos, afirmou em entrevista coletiva o coronel Steve Warren, porta-voz em Bagdá para a campanha liderada pelos Estados Unidos.

"Avaliamos que esta operação tenha reduzido a receita deles em cerca de 30 por cento", disse Warren. Antes da campanha, o Estado Islâmico produzia 45.000 barris de petróleo por dia, agora, produz cerca de 34 mil barris por dia, afirmou Warren.

(Por Yeganeh Torbati)

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247