Atletas fazem protesto contra Trump nos Jogos Pan-Americanos

Diversos medalhistas norte-amerianos usaram o momento do pódio, ao receber a medalha, para proteestar contra o governo de Donald Trump nos jogos Pan-Americanos realizado no Peru.

Jose Sotomayor - AFP
Jose Sotomayor - AFP

247 - Mesmo sob a ameaça de punição por parte do comitê esportivo, diversos medalhistas norte-amerianos se manifestaram contra o governo de Donald Trump nos jogos Pan-Americanos, realizado em Lima, no Peru. 

Alejandro Bedoya deixou de comemorar o gol para cobrar dos Congressistas o fim da violência armada. O esgrimista Race Imboden se ajoelhou durante a execução do hino nacional dos EUA ao receber a medalha de ouro. 

O gesto é parte de um movimento que começou com o ex-quarterback do San Francisco, Colin Kaepernick, que em 2016 ajoelhou-se durante o hino americano para protestar contra a violência policial e o racismo nos Estados Unidos. 

A lançadora de martelo Gwen Berry, campeã no lançamento de martelo, fechou os olhos e ergueu o punho fechado no pódio. "Precisamos cobrar por mudanças", disse Imboden em suas redes sociais. "Meu orgulho foi abalado pelos diversos problemas do país que eu carrego com tanto apreço no meu coração", completou, citando racismo, controle de armas, maus tratos a imigrantes e um presidente "que espalha ódio". 

Representantes do Comitê Pan-Americano dos Estados Unidos (USOPC) afirmam que estão analisando os casos. "Race não cumpriu com o acordo que fez com o comitê organizador e o comitê dos EUA", disse o porta-voz do USOPC Mark Jones, se referindo ao termo que em que os atletas concordariam em "abrir mão de demonstrações que tenham natureza política".

Com informações da Folha.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247