Banco Mundial diz que crescimento da China deverá alcançar 7,9% em 2021

A economia da China deverá crescer 7,9% em 2021, quase o dobro da taxa de crescimento global prevista para o ano, segundo o Banco Mundial em sua previsão na terça-feira

China: Reforma e abertura para garantir crescimento econômico de alta qualidade
China: Reforma e abertura para garantir crescimento econômico de alta qualidade
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - "O crescimento na China deverá acelerar 7,9% este ano - 1 ponto percentual acima da previsão de junho - refletindo a liberação da demanda reprimida e uma retomada mais rápida do que o esperado da produção e das exportações", anunciou o credor global de 189 membros em um comunicado no lançamento do 2021 Global Economic Prospects.

Em outubro, o Fundo Monetário Internacional previu que a China atingiria um crescimento de 8,2% este ano, após se tornar a única grande economia a demonstrar um crescimento positivo em 2020.

Estima-se que a produção na China tenha recuperado no ano passado a um ritmo mais rápido do que o esperado, graças a apoios em gastos com infraestrutura, de acordo com o Banco Mundial, que previu um aumento modesto de 2 por cento na China em 2020.

As estatísticas oficiais da China até agora traçaram um curso constante de sua recuperação econômica.

O PIB do país cresceu 4,9 por cento em relação ao ano anterior no terceiro trimestre de 2020, revertendo uma queda de 6,8 por cento no primeiro trimestre e acima dos 3,2 por cento de crescimento no segundo trimestre.

O Banco Mundial afirmou que as interrupções da pandemia na maioria dos outros mercados emergentes e países em desenvolvimento foram mais graves do que o previsto anteriormente, resultando em recessões mais profundas e recuperações mais lentas, especialmente em países com grandes surtos.

Ning Jizhe, vice-ministro da Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma, disse que a China manterá uma política fiscal proativa e uma política monetária prudente, e que estabilizará a economia em um nível "razoável" este ano, em meio a incertezas no ambiente externo.

O produto interno bruto dos EUA deverá expandir 3,5 por cento em 2021, após uma redução estimada de 3,6 por cento em 2020, de acordo com o Banco Mundial.

Ele observou que as contrações mais superficiais nas economias avançadas, além de uma recuperação mais robusta na China, resultaram na desaceleração da economia global, "ligeiramente menos severa" do que anteriormente projetado.

Ao todo, projeta-se que a economia global aumente em 4%, assumindo que a distribuição da vacina de Covid-19 é realizada com sucesso.

Embora a economia global esteja crescendo novamente após um declínio de 4,3% em 2020, a pandemia causou um grande número de mortes e doenças, lançou milhões de pessoas na pobreza e pode comprometer a atividade econômica e a renda por um período prolongado, segundo o Banco Mundial.

Uma recuperação, no entanto, provavelmente será moderada, a menos que os formuladores de políticas tomem medidas decisivas para domar a pandemia e implementem reformas que aumentem o investimento, advertiu o Banco Mundial, dado que a Covid-19 continua ativa, com ressurgimentos acentuados em diversas regiões.

"Embora a economia global pareça ter entrado em uma recuperação moderada, os formuladores de políticas enfrentam desafios formidáveis: saúde pública, gestão da dívida, políticas orçamentais, banco central e reformas estruturais - enquanto tentam garantir que esta ainda frágil recuperação global ganha força e defina uma base para um crescimento robusto ", afirmou o presidente do Grupo Banco Mundial, David Malpass.

"Para superar os impactos da pandemia e conter os ventos contrários aos investimentos, é necessário um grande impulso para melhorar o ambiente de negócios, aumentar a flexibilidade dos mercados de trabalho e fortalecer a transparência da governança", disse.

Informações do Diário do Povo.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email