Bolívia: morre em acidente de moto chefe da polícia que havia se amotinado

O coronel Heybert Antelo, comandante das forças especiais em La Paz, morreu nesta terça-feira após sofrer um acidente de moto. Ele e sua tropa haviam se amotinado no sábado (9) contra o governo de Evo Morales, deixando a cidade nas mãos de grupos da extrema-direita

Protestos na Bolívia após golpe de Estado contra Evo Morales
Protestos na Bolívia após golpe de Estado contra Evo Morales (Foto: Carlos Garcia Rawlins/Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O coronel Heybert Antelo, comandante das forças especiais em La Paz, morreu nesta terça-feira após sofrer um acidente de moto há dois dias. A informação é da agência AFP.

Antelo, comandante da Unidade Táctica de Operação Policial (UTOP) de La Paz, e sua tropa haviam se amotinado no sábado (9) contra o governo de Evo Morales, deixando a cidade nas mãos de grupos da extrema-direita.

"O coronel Antelo sofreu um acidente quando sua motocicleta (derrapou) nas pedras na autoestrada (para a cidade vizinha de El Alto)", disse o vice-comandante da UTOP de La Paz, coronel Rojas, que o substituiu no comando.Ele, no entanto, diz que foi um "atentado".

O acidente ocorreu no domingo, em uma estrada que liga a capital a El Alto, reduto de Morales. Em comunicado, a polícia boliviana afirmou que a morte de Antelo aconteceu enquanto o agente tentava “interceptar grupos de delinquentes que tentavam criar inquietação”. “É um exemplo de sacrifício dos efetivos da ordem, que oferecem suas vidas para salvar a de qualquer cidadão”, diz o comunicado.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247