Brasileiros formados em Cuba rechaçam campanha dos EUA contra médicos da ilha em missões pelo mundo

Médicos brasileiros formados em Cuba emitiram na última sexta-feira (24) nota de repúdio à campanha que os Estados Unidos fazem contra a presença das brigadas médicas em vários países

(Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - 247 - "Os médicos e médicas graduados da Escola Latinoamericana de Medicina – ELAM, repudiamos totalmente as ações recentemente engendradas pelo governo dos Estados Unidos, que procuram difundir mentiras e enganar a opinião publica a respeito do trabalho das Brigadas Médicas cubanas em todo mundo", diz a nota da associação dos ex-alunos da ELAM. 

"Tais iniciativas têm a intenção de desqualificar e questionar o prestígio e qualidade da Saúde Pública cubana e sua política mundialmente reconhecida de Cooperação em saúde e missões internacionalistas, que levam atendimento aos mais extremos rincões do mundo, como no Brasil, onde mais de 15 mil médicos cubanos levaram saúde a lugares onde os médicos brasileiros nunca chegaram".

Os ex-estudantes acrescentam que o exemplo da ELAM, pensada e posta em funcionamento por Fidel, onde mais de 25 mil jovens de vários países, majoritariamente pobres, se graduaram gratuitamente como médicos, para levar saúde a seus povos, "mostra claramente o caráter social da Revolução Cubana".

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247