Brexit reacende chama da independência na Escócia

Escócia muito provavelmente irá realizar um segundo referendo sobre sua independência, disse nesta sexta-feira a primeira-ministra escocesa, Nicola Sturgeon, acrescentando que irá fazer o que for necessário para garantir o lugar do país na União Europeia, após o Reino Unido votar para deixar o bloco; "É uma afirmação do óbvio que a opção por um segundo referendo precisa estar na mesa e está na mesa", disse; "Penso que um referendo sobre a independência agora é muito provável", acrescentou

Escócia muito provavelmente irá realizar um segundo referendo sobre sua independência, disse nesta sexta-feira a primeira-ministra escocesa, Nicola Sturgeon, acrescentando que irá fazer o que for necessário para garantir o lugar do país na União Europeia, após o Reino Unido votar para deixar o bloco; "É uma afirmação do óbvio que a opção por um segundo referendo precisa estar na mesa e está na mesa", disse; "Penso que um referendo sobre a independência agora é muito provável", acrescentou
Escócia muito provavelmente irá realizar um segundo referendo sobre sua independência, disse nesta sexta-feira a primeira-ministra escocesa, Nicola Sturgeon, acrescentando que irá fazer o que for necessário para garantir o lugar do país na União Europeia, após o Reino Unido votar para deixar o bloco; "É uma afirmação do óbvio que a opção por um segundo referendo precisa estar na mesa e está na mesa", disse; "Penso que um referendo sobre a independência agora é muito provável", acrescentou (Foto: Paulo Emílio)

Reuters - A Escócia muito provavelmente irá realizar um segundo referendo sobre sua independência, disse nesta sexta-feira a primeira-ministra escocesa, Nicola Sturgeon, acrescentando que irá fazer o que for necessário para garantir o lugar do país na União Europeia, após o Reino Unido votar para deixar o bloco.

"É uma afirmação do óbvio que a opção por um segundo referendo precisa estar na mesa e está na mesa", disse a repórteres.

"Penso que um referendo sobre a independência agora é muito provável", acrescentou.

A Escócia, que realizou um referendo anterior sobre a independência em 2014, votou por uma margem de 62 por cento a 38 por cento pela permanência na UE no referendo de quinta-feira, em desacordo com o Reino Unido como um todo, que registrou 52 por cento de votos a favor da saída, contra 48 por cento favoráveis à permanência.

"Quero deixar absolutamente claro hoje que pretendo tomar todas as medidas possíveis e explorar todas as opções para efetivar o que o povo da Escócia votou, em outras palavras, para garantir nosso lugar na UE e em um mercado único", disse.

(Reportagem de Ana Nicolaci da Costa)

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247