Bushistas declaram apoio a Hillary Clinton

Treze membros do alto escalão do governo de George W. Bush (2001-2009) divulgaram nesta quarta-feira (12) uma carta aberta declarando apoio à candidata democrata na disputa pela Casa Branca; grupo é liderado pela ex-secretária de Transportes Mary Peters e pela ex-chefe da Agência de Proteção Ambiental Christine Todd Whitman, ambas republicanas; no documento, elas dizem que o candidato de seu partido, Donald Trump, não representa os “valores de civilidade e honestidade que devem inspirar qualquer governo”

Treze membros do alto escalão do governo de George W. Bush (2001-2009) divulgaram nesta quarta-feira (12) uma carta aberta declarando apoio à candidata democrata na disputa pela Casa Branca; grupo é liderado pela ex-secretária de Transportes Mary Peters e pela ex-chefe da Agência de Proteção Ambiental Christine Todd Whitman, ambas republicanas; no documento, elas dizem que o candidato de seu partido, Donald Trump, não representa os “valores de civilidade e honestidade que devem inspirar qualquer governo”
Treze membros do alto escalão do governo de George W. Bush (2001-2009) divulgaram nesta quarta-feira (12) uma carta aberta declarando apoio à candidata democrata na disputa pela Casa Branca; grupo é liderado pela ex-secretária de Transportes Mary Peters e pela ex-chefe da Agência de Proteção Ambiental Christine Todd Whitman, ambas republicanas; no documento, elas dizem que o candidato de seu partido, Donald Trump, não representa os “valores de civilidade e honestidade que devem inspirar qualquer governo” (Foto: Realle Palazzo-Martini)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Da Agência Ansa

Treze membros do alto escalão do governo de George W. Bush (2001-2009) divulgaram hoje (12) uma carta aberta declarando apoio à democrata Hillary Clinton na disputa pela Casa Branca. As informações são da Agência Ansa.

O grupo é liderado pela ex-secretária de Transportes Mary Peters e pela ex-chefe da Agência de Proteção Ambiental Christine Todd Whitman, ambas republicanas. No documento, elas dizem que o candidato de seu partido, Donald Trump, não representa os “valores de civilidade e honestidade que devem inspirar qualquer governo”.

A carta foi publicada menos de uma semana depois da divulgação de um vídeo com frases sexistas ditas pelo magnata em 2005. Na gravação, Trump afirma que é possível fazer “qualquer coisa” com as mulheres “quando se é famoso” e outras expressões vulgares.

O episódio serviu de estopim para a retirada do apoio a Trump por parte de expoentes republicanos, como o senador John McCain e o presidente do Congresso, Paul Ryan. O bilionário ironizou a decisão dos dois e disse não precisar deles para chegar à Casa Branca, mas o fato é que ele vem caindo nas pesquisas.

Além disso, a emissora NBC publicou nesta quarta-feira que dois grandes doadores da campanha de Trump pediram seu dinheiro de volta por conta do comportamento do candidato.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247