Bushistas declaram apoio a Hillary Clinton

Treze membros do alto escalão do governo de George W. Bush (2001-2009) divulgaram nesta quarta-feira (12) uma carta aberta declarando apoio à candidata democrata na disputa pela Casa Branca; grupo é liderado pela ex-secretária de Transportes Mary Peters e pela ex-chefe da Agência de Proteção Ambiental Christine Todd Whitman, ambas republicanas; no documento, elas dizem que o candidato de seu partido, Donald Trump, não representa os “valores de civilidade e honestidade que devem inspirar qualquer governo”

Treze membros do alto escalão do governo de George W. Bush (2001-2009) divulgaram nesta quarta-feira (12) uma carta aberta declarando apoio à candidata democrata na disputa pela Casa Branca; grupo é liderado pela ex-secretária de Transportes Mary Peters e pela ex-chefe da Agência de Proteção Ambiental Christine Todd Whitman, ambas republicanas; no documento, elas dizem que o candidato de seu partido, Donald Trump, não representa os “valores de civilidade e honestidade que devem inspirar qualquer governo”
Treze membros do alto escalão do governo de George W. Bush (2001-2009) divulgaram nesta quarta-feira (12) uma carta aberta declarando apoio à candidata democrata na disputa pela Casa Branca; grupo é liderado pela ex-secretária de Transportes Mary Peters e pela ex-chefe da Agência de Proteção Ambiental Christine Todd Whitman, ambas republicanas; no documento, elas dizem que o candidato de seu partido, Donald Trump, não representa os “valores de civilidade e honestidade que devem inspirar qualquer governo” (Foto: Realle Palazzo-Martini)

Da Agência Ansa

Treze membros do alto escalão do governo de George W. Bush (2001-2009) divulgaram hoje (12) uma carta aberta declarando apoio à democrata Hillary Clinton na disputa pela Casa Branca. As informações são da Agência Ansa.

O grupo é liderado pela ex-secretária de Transportes Mary Peters e pela ex-chefe da Agência de Proteção Ambiental Christine Todd Whitman, ambas republicanas. No documento, elas dizem que o candidato de seu partido, Donald Trump, não representa os “valores de civilidade e honestidade que devem inspirar qualquer governo”.

A carta foi publicada menos de uma semana depois da divulgação de um vídeo com frases sexistas ditas pelo magnata em 2005. Na gravação, Trump afirma que é possível fazer “qualquer coisa” com as mulheres “quando se é famoso” e outras expressões vulgares.

O episódio serviu de estopim para a retirada do apoio a Trump por parte de expoentes republicanos, como o senador John McCain e o presidente do Congresso, Paul Ryan. O bilionário ironizou a decisão dos dois e disse não precisar deles para chegar à Casa Branca, mas o fato é que ele vem caindo nas pesquisas.

Além disso, a emissora NBC publicou nesta quarta-feira que dois grandes doadores da campanha de Trump pediram seu dinheiro de volta por conta do comportamento do candidato.

Conheça a TV 247

Mais de Mundo

Ao vivo na TV 247 Youtube 247