Celso Amorim: deixar Mercosul seria fazer um Brexit

Em entrevista para jornalistas nesta segunda-feira (30), o chanceler Celso Amorim, Ministro das Relações Exteriores no governo de Luiz Inácio Lula da Silva, reagiu às declarações sobre o Mercosul feitas pelo economista Paulo Guedes, futuro ministro da Fazenda de Jair Bolsonaro (PSL), dizendo que seria "fazer um Brexit"; e acrescentou: "vai esfacelar o Mercosul; será um grande desserviço à paz na região", segundo Nathan Lopes, no UOL

Celso Amorim: deixar Mercosul seria fazer um Brexit
Celso Amorim: deixar Mercosul seria fazer um Brexit

247 - Em entrevista para jornalistas nesta segunda-feira (30), o chanceler Celso Amorim, Ministro das Relações Exteriores no governo de Luiz Inácio Lula da Silva, reagiu às declarações sobre o Mercosul feitas pelo economista Paulo Guedes, futuro ministro da Fazenda de Jair Bolsonaro (PSL), dizendo que seria "fazer um Brexit". E acrescentou: "vai esfacelar o Mercosul. Será um grande desserviço à paz na região", segundo Nathan Lopes, no UOL.

Paulo Guedes disse no domingo (30) que o Brasil não terá o Mercosul como prioridade no governo Bolsonaro e teceu fortes críticas ao bloco econômico. Segundo ele, o Brasil ficou "prisioneiro de alianças ideológicas e isso é ruim para a economia".

"Mercosul quando foi feito (foi) totalmente ideológico. É uma prisão cognitiva, não será conosco. Foi, no sentido de que só negocia com gente que tiver inclinações bolivarianas. Não vamos quebrar com ninguém, não vamos quebrar nenhum relacionamento", afirmou Paulo Guedes.

Para Celso Amorim, "à medida que você vai criando rivalidades, tirando os pontos comuns, você pode, sim [afetar a paz na região] (...). Tudo isso não pode ser separado da parte econômica, comercial. É o comércio que aproxima as pessoas. Acho que essa pessoa não tem sensibilidade para isso", disse o chanceler, que lembrou que "a União Europeia teve origem não pelo ganho econômico, mas para garantir a paz na região".

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247