Chanceler chinês diz que país deseja aprofundar cooperação integral com CELAC

O ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, disse na terça-feira (25) que o país quer trabalhar com a Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (CELAC) para aprofundar sua cooperação integral. Ele apresentou uma proposta de quatro pontos para o objetivo

Chanceler chinês diz que país deseja aprofundar cooperação integral com CELAC
Chanceler chinês diz que país deseja aprofundar cooperação integral com CELAC

247, com Diário do Povo - O ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, disse na terça-feira (25) que o país quer trabalhar com a Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (CELAC) para aprofundar sua cooperação integral. Ele apresentou uma proposta de quatro pontos para o objetivo.

Wang deu as declarações ao reunir-se com os ministros das Relações Exteriores do Quarteto da CELAC.

O Quarteto inclui os presidentes rotativos atual, anterior e próximo da CELAC, assim como o atual presidente da Comunidade do Caribe (CARICOM).

Nos últimos cinco anos, o presidente chinês, Xi Jinping, fez três visitas à América Latina e se reuniu com os líderes de quase todos os países da região que têm relações diplomáticas com a China, recordou Wang. O ministro chinês indicou que a parceria cooperativa abrangente entre as duas partes entrou em uma nova etapa.

Depois de mais de três anos de desenvolvimento, o Fórum China-CELAC se tornou uma plataforma importante para que ambas as partes realizem uma cooperação integral e está servindo como um forte apoio para a construção de uma comunidade de futuro compartilhado para a China e a CELAC, afirmou Wang.

Especificamente, o chanceler chinês fez uma proposta de quatro pontos para aprofundar a cooperação integral entre as duas partes.

Em primeiro lugar, ambos os lados devem conduzir sua cooperação com consenso político, promover o entendimento mútuo e apoiar firmemente os interesses chave e principais preocupações de cada um, assinalou Wang. Ele também pediu uma posição mais firme contra o unilateralismo e o protecionismo comercial e apoio ao multilateralismo e o sistema de livre comércio.

Segundo, devem tomar ações concretas para otimizar sua cooperação. As duas partes devem acelerar o alinhamento de suas estratégias de desenvolvimento, aprofundar sua cooperação pragmática em diversas áreas e impulsionar a implementação da Iniciativa do Cinturão e Rota na área.

Terceiro, Wang pediu que as duas partes fortaleçam os laços entre os povos através da cooperação em áreas como educação, tecnologia, cultura, adolescentes, turismo, meios de comunicação e saúde.

Quarto, as duas partes devem aperfeiçoar o mecanismo dentro do marco do Fórum China-CELAC para proteger a cooperação, concluiu Wang.

O próximo ano marca o quinto aniversário do estabelecimento do Fórum China-CELAC. A China espera que ambas as partes aproveitem o aniversário como uma oportunidade para melhorar o fórum, a fim de contribuir ao desenvolvimento de maior qualidade das relações bilaterais.

Os chanceleres do Quarteto expressaram a disposição da CELAC de trabalhar com a China para implementar os resultados da segunda reunião ministerial do Fórum China-CELAC e ampliar sua cooperação nas áreas de comércio, investimento, redução da pobreza, inovação e construção de infraestrutura.

A CELAC aprecia a Iniciativa do Cinturão e Rota proposta pela China. Incorporar a CELAC à construção da iniciativa gerará benefícios tangíveis para as duas partes, disseram os ministros das Relações Exteriores do Quarteto.

A Jamaica, que ocupa atualmente a presidência rotativa da CARICOM, reiterou em nome dos países caribenhos de língua inglesa a adesão à política de Uma Só China

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247