Chanceler venezuelano sobre ajuda a Manaus: "Solidariedade latino-americana acima de tudo"

Jorge Arreaza, ministro das Relações Exteriores, disse que "é uma obrigação apoiar o povo brasileiro" e fez um apelo para que diferenças ideológicas não sejam transpostas nas relações internacionais

Jorge Arreaza, chanceler da Venezuela
Jorge Arreaza, chanceler da Venezuela (Foto: REUTERS/Manaure Quintero)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O apoio da Venezuela a Manaus, que sofre com a falta de oxigênio em hospitais para tratar casos graves da Covid-19, surpreendeu muitos. Completamente submisso à estratégia dos Estados Unidos, o Brasil é hostil com o país vizinho, com Bolsonaro reconhecendo o ilegítimo Guaidó como presidente e até desenhando cenários de guerra.

Mesmo assim, o chanceler da Venezuela, Jorge Arreaza, defende ser "uma obrigação ajudar o povo brasileiro". 

As informações são da coluna de Jamil Chade, no Uol.

"Por instruções do presidente Nicolás Maduro, conversamos com o governador do estado do Amazonas, Wilson Lima, para disponibilizar imediatamente o oxigênio necessário para atender o contingente de saúde em Manaus. Solidariedade latino-americana acima de tudo!", escreveu o ministro em suas redes.

"O respeito à diversidade é essencial. A solidariedade é um princípio do bolivarianismo e do socialismo", destacou.

O chanceler também fez um apelo para que diferenças ideológicas não sejam expressadas nas relações internacionais: "Em política, a tolerância ideológica é fundamental. Ideologizar as relações internacionais é um erro".

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email