Chile faz greve geral contra políticas antissociais do governo direitista de Piñera

A Central Única dos Trabalhadores (CUT) do Chile e outros sindicatos e movimentos sociais, convocaram para esta quarta-feira (23) uma greve geral para expressar o descontentamento com as políticas antissociais do governo

Manifestações no Chile
Manifestações no Chile (Foto: Edgard Garrido/Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Prensa Latina - O Chile amanhece nesta quarta-feira em greve geral, que se estende até o dia seguinte. 

Por meio de comunicado divulgado na rede social Twitter, a CUT afirmou que as organizações sociais e sindicais unidas, com mais de 50 movimentos, pretendem fazer a greve de protesto por dois dias.  

No texto da convocação, estes movimentos destacam que "o Chile acordou" e, portanto, o povo expressa sua indignação e rejeição às estruturas do atual modelo neoliberal.  

Da mesma forma, a CUT chilena enfatizou que o presidente Sebastián Piñera, declarando o país sul-americano em estado de emergência, aprofundou uma crise social e de governança sem precedentes na história do país.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247