China acusa navio americano de violar sua soberania ao entrar no mar territorial

A chancelaria da China declarou que um destróier dos EUA entrou nas águas territoriais do país no mar do Sul da China sem permissão oficial, violando, deste modo, a soberania do país; de acordo com o comunicado de Pequim, "em 17 de janeiro, um destróier dos EUA entrou nas águas chinesas a 12 milhas náuticas da ilha de Huangyan [também conhecida como recife de Scarborough no mar do Sul da China] sem permissão do governo chinês"

China acusa navio americano de violar sua soberania ao entrar no mar territorial
China acusa navio americano de violar sua soberania ao entrar no mar territorial (Foto: � David Moir / Reuters)

Da Sputnik Brasil

A chancelaria chinesa declarou que um destróier dos EUA entrou nas águas territoriais do país no mar do Sul da China sem permissão oficial, violando, deste modo, a soberania do país.

De acordo com o comunicado de Pequim, "em 17 de janeiro, um destróier dos EUA entrou nas águas chinesas a 12 milhas náuticas da ilha de Huangyan [também conhecida como recife de Scarborough no mar do Sul da China] sem permissão do governo chinês".

"Em conformidade com a lei, a Marinha da China efetuou uma verificação 'amigo ou inimigo' ao navio norte-americano e emitiu um aviso para ele deixar as respectivas águas", adianta o documento.

Ademais, se afirma que "as atividades do navio militar dos EUA afetam a soberania e interesses de segurança da China, bem como põem em grande perigo a segurança dos navios chineses e do pessoal que realiza operações planejadas na área".

Além disso, Pequim expressou seu sério descontentamento e prometeu "tomar todas as medidas necessárias para garantir sua soberania".

Contudo, o ministério reiterou seu respeito pela liberdade de navegação marítima e aérea na região do mar do Sul da China para todos os países, conforme o direito internacional, mas afirmou que "se opõe resolutamente às ações de qualquer país que, sob pretexto da liberdade de navegação marítima e aérea, possam minar a soberania e interesses de segurança da China".

"Apelamos de modo insistente a que os EUA corrijam imediatamente seu erro e parem com tais provocações", adianta a chancelaria, sublinhando que isso é preciso para o bem das relações bilaterais, bem como para a paz na região.

O mar do Sul da China é uma região disputada entre Brunei, China, Malásia, Taiwan, Filipinas e Vietnã, dado que esta região é considerada como altamente rica em recursos energéticos. As autoridades chinesas reclamam 90% da área como seus e têm reiterado que todas as atividades do país naquelas águas constituem seu direito soberano.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247