China anuncia que vai fortalecer padronização da energia nuclear

A Rádio Internacional da China divulgou na quinta-feira (9) em sua programação em língua portuguesa que o Conselho de Estado chinês emitiu no mesmo dia um documento de orientação para reforçar as atividades relacionadas com a padronização do uso da energia nuclear para geração de eletricidade

China anuncia que vai fortalecer padronização da energia nuclear
China anuncia que vai fortalecer padronização da energia nuclear
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Rádio Internacional da China divulgou na quinta-feira (9) em sua programação em língua portuguesa que o Conselho de Estado chinês emitiu no mesmo dia um documento de orientação para reforçar as atividades relacionadas com a padronização do uso da energia nuclear para geração de eletricidade.

De acordo com o plano, até 2019, a China formará um sistema padronizado de energia nuclear, que é correspondente ao nível de desenvolvimento do setor.

Até 2022, a maioria dos projetos de energia nuclear desenvolvidos pela China utilizará seu próprio padrão. Até 2027, a China estará entre as vanguardas da padronização da energia nuclear, desempenhando um papel cada vez mais importante neste aspecto.

Em 2016, a China aumentou a capacidade instalada das usinas nucleares, em torno de oito gigawatts, para 34 gigawatts, o maior aumento no uso de energia nuclear já ocorrido. E que deve continuar. Segundo citação do China Daily – jornal do partido comunista em língua inglesa – o presidente da China General Nuclear Power Corporation, He Yu, teria estimado a capacidade nuclear chinesa até 2030 em pelo menos 130 gigawatts.

Novos reatores produzidos na China deverão ser acionados não só no país como também nos países vizinhos, ao longo da nova Rota da Seda, pela Ásia Central e Paquistão. Mesmo no Reino Unido, a China quer construir um reator de "terceira geração", segundo o modelo do Reator Pressurizado Europeu (EPR, na sigla em inglês). Este reator do tipo Hualong 1 não seria, segundo Pequim, apenas seguro, mas também internacionalmente competitivo

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247