China critica o posição dos EUA sobre reforma da OMC

O governo chinês criticou nesta segunda-feira (29) o "egoísmo" dos Estados Unidos após a ameaça do presidente Donald Trump de denunciar o status de um país em desenvolvimento que alguns membros da OMC têm, como a China

China, porta-voz MRE
China, porta-voz MRE (Foto: Xinhua)

AFP - Trump deu à Organização Mundial do Comércio (OMC) 90 dias para resolver o problema dos Estados que, segundo ele, usam esse status de país em desenvolvimento para obter lucros para sua economia.

A posição dos Estados Unidos sobre esta questão "ressaltou ainda mais sua arrogância e egoísmo", disse a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Hua Chunying, falando à imprensa.

"Saber quem deve ser classificado na categoria de país em desenvolvimento e com base em quais padrões ... deve ser determinado negociando com a maioria dos membros da OMC", acrescentou a porta-voz.

A China reagiu assim à publicação de um memorando na sexta-feira, assinado por Donald Trump, que afirma que a OMC usa uma "obsoleta dicotomia entre países desenvolvidos e em desenvolvimento que permitiu que alguns membros (...) se beneficiassem de vantagens injustas".

O texto menciona sete países entre os dez mais ricos em termos de Produto Interno Bruto (PIB) per capita, mas aponta principalmente a China.

Críticas coincidem com as reuniões planejadas na China nesta semana entre os negociadores chineses e americanos para tentar acabar com a guerra comercial entre as duas potências, que aplicam tarifas no valor de US$ 360 bilhões em trocas anuais.

O status de um país em desenvolvimento dentro da OMC permite, entre outros, adiar a aplicação de alguns acordos ou proteger certos setores de sua economia.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247