China desmente 'fake news' de mídia dos EUA sobre Venezuela

O Ministério das Relações Exteriores da China rechaçou as informações difundidas pelo jornal estadunidense The Wall Street Journal sobre a Venezuela, que qualificou como "noticias falsas"; na terça-feira (12), o o jornal estadunidense, citando supostas fontes informadas, afirmou que os diplomatas chineses mantinham conversações em Washington com emissários de Juan Guaidó sobre a dívida venezuelana com Pequim e sobre projetos comuns na área do petróleo

China desmente 'fake news' de mídia dos EUA sobre Venezuela
China desmente 'fake news' de mídia dos EUA sobre Venezuela
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247, com Sputnik - O Ministério das Relações Exteriores da China rechaçou as informações difundidas pelo jornal estadunidense The Wall Street Journal sobre a Venezuela, que qualificou como "noticias falsas"; na terça-feira (12), o o jornal estadunidense, citando supostas fontes informadas, afirmou que os diplomatas chineses mantinham conversações em Washington com emissários de Juan Guaidó sobre a dívida venezuelana com Pequim e sobre projetos comuns na área do petróleo.

"O jornal The Wall Street Journal publicou ontem esse material (...) que na realidade é uma notícia falsa", disse a porta-voz da Chancelaria chinesa, Hua Chunying.

Hua indicou que este tipo de publicações da imprensa estadunidense põe em destaque sua falta de profissionalismo.

A porta-voz acrescentou que ultimamente vários meios de comunicação estão envolvidos numa corrida pelas notícias falsas.

"Não sei que objetivos perseguem, mas esperamos que os meios de comunicação preparem suas publicações atendo-se aos princípios da objetividade e da imparcialidade", sublinhou.

Quanto à crise política venezuelana, Hua destacou que seu país defende o diálogo entre o governo de Caracas e a oposição.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247