China diz que pressões dos EUA estão na raiz da atual crise com o Irã

Na opinião da chancelaria chinesa, os Estados Unidos têm um "comportamento incorreto" quanto ao acordo nuclear com o Irã e criam tensões com o país persa ao realizar uma política de pressão máxima

O porta-voz da Chancelaria chinesa, Geng Shuang 
O porta-voz da Chancelaria chinesa, Geng Shuang  (Foto: Paulo Emílio)

HispanTV - O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Geng Shuang, em uma coletiva de imprensa na terça-feira (12) em Pequim, pediu que o governo dos EUA abra o caminho para resolver as discórdias através de diplomacia.

“É uma crença constante da China que a retirada unilateral dos EUA do acordo nuclear e a campanha de pressão máxima contra o Irã são a causa da atual crise. Os Estados Unidos devem renunciar a esse comportamento incorreto para acomodar esforços diplomáticos e criar condições para reduzir a escalada de tensões”, afirmou.  

O diplomata chinês convocou todas as partes do pacto, oficialmente chamado de Plano de Ação Conjunto Integrado (JCPOA, na sigla em inglês), assinado em 2015, a cumprir seus compromissos e implementar o acordo "de forma completa e eficaz", insistindo na resolução de diferenças dentro do próprio JCPOA. 

O acordo foi assinado entre o Irã e o Grupo 5 + 1, composto pelos EUA, Reino Unido, França, Rússia e China, além da Alemanha. Os Estados Unidos se retiraram unilateralmente em maio de 2018.   

Shuang enfatizou que a China apoia a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) para cumprir objetiva e imparcialmente seu dever e continuará a trabalhar com outras partes para encontrar uma solução política e diplomática para o problema.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247