China e África do Sul consolidam amizade e ampliam relações

A China e a África do Sul se comprometeram nesta terça-feira (24) a impulsionar suas relações tradicionalmente amistosas e avançar com a parceria estratégica abrangente na nova era; o presidente chinês Xi Jinping encontra-se no país em visita de Estado e para participar da reunião de cúpula do BRICS que se inicia nesta quarta-feira (25) em Johannesburgo

China e África do Sul consolidam amizade e ampliam relações
China e África do Sul consolidam amizade e ampliam relações

247, com Diário do Povo - A China e a África do Sul se comprometeram nesta terça-feira (24) a impulsionar suas relações tradicionalmente amistosas e avançar com a parceria estratégica abrangente na nova era.

Durante as conversações entre o presidente chinês Xi Jinping, que está em visita à África do Sul, e seu homólogo sul-africano Cyril Ramaphosa, os dois líderes concordaram em fortalecer os intercâmbios de alto nível, aprofundar a confiança política mútua, alinhar suas estratégias de desenvolvimento, promover a cooperação prática e aumentar o intercâmbio de pessoas, permitindo assim aos dois povos desfrutarem mais resultados da cooperação bilateral.

Xi expressou sua gratidão a Ramaphosa pelas suas importantes contribuições ao fortalecimento dos laços diplomáticos entre os dois países e ao desenvolvimento das relações bilaterais.

Assinalando que a China e a África do Sul são importantes países em desenvolvimento e países com mercados emergentes de influência importante, Xi disse que desde o estabelecimento das relações diplomáticas há 20 anos, os dois lados têm se comprometido com a cooperação de benefício mútuo e o desenvolvimento comum, têm superado juntos todas as dificuldades, compartilhado o bem e o mal, e tendo estabelecido um vínculo de "camarada mais irmão" caracterizado pela amizade sincera, confiança mútua e elo estreito.

Ele disse que nos últimos anos as relações China-África do Sul foram elevadas de parceria à parceria estratégica e depois à parceria estratégica abrangente, trazendo benefícios tangíveis aos dois povos.
"Aproveitando a oportunidade do 20º aniversário das relações diplomáticas, a China está disposta a trabalhar com a África do Sul para apoiar um ao outro em sediar a cúpula do BRICS deste ano em Johannesburgo e a Cúpula de Pequim do Fórum da Cooperação China-África (FOCAC), herdando o passado e esperando o futuro, e promovendo mais êxitos da parceria estratégica abrangente bilateral, a fim de levar maiores benefícios aos dois povos", disse o presidente chinês.

Ao assinalar que as relações China-África do Sul estão em um novo ponto histórico, o presidente chinês propôs que os dois países se foquem nas seguintes áreas para avançar as relações bilaterais:

- Os dois lados devem fortalecer os intercâmbios de alto nível, aprofundar a confiança política mútua, apoiar um ao outro na escolha independente do caminho de desenvolvimento que se adapte a suas próprias condições nacionais, continuar a entender-se e apoiar-se nos assuntos envolvendo seus respectivos interesses principais e grandes preocupações, aumentar os intercâmbios entre os governos, órgãos legislativos e várias outras áreas, e aprofundar os intercâmbios e a cooperação interpartidária.

- Os dois lados devem fortalecer a cooperação dentro das estruturas da Iniciativa do Cinturão e Rota e do FOCAC, alinhar suas estratégias de desenvolvimento, aprofundar os intercâmbios e cooperação nos novos setores econômicos e nas indústrias emergentes, e compartilhar as oportunidades de desenvolvimento geradas pela 4ª revolução industrial. O lado chinês quer se focar na promoção da cooperação nessas áreas como a construção de infraestrutura, comércio e investimento, inovação científica e tecnológica, finanças, e apoia os esforços feitos pelo governo sul-africano para desenvolver a economia, criar empregos, melhorar o padrão de vida do povo e promover a transformação social.

- Os dois lados devem aprofundar os laços entre os povos, implementar o consenso que os dois lados chegaram na facilitação dos intercâmbios de pessoas e fortalecimento dos intercâmbios culturais e educativos, e consolidar a cooperação no desenvolvimento de recursos humanos e turismo.

- Os dois lados devem promover a cooperação em segurança e aplicação da lei. O lado chinês quer fortalecer a cooperação com a África do Sul na construção da capacidade de aplicação da lei.

- Os dois lados devem aumentar a coordenação dentro das estruturas multilaterais incluindo a ONU, G20, BRICS e BASIC, proteger em conjunto o multilateralismo, se opor ao unilateralismo e protecionismo, e promover uma ordem internacional mais justa e equitativa.

Por seu lado, Ramaphosa disse que os povos sul-africano e chinês desfrutam de uma amizade tradicional, e que os dois países têm consolidado e desenvolvido seus laços desde o estabelecimento das relações diplomáticas há 20 anos.

As relações superaram a escala bilateral, têm um importante significado estratégico, e os dois países realizaram cooperações frutíferas nos níveis regionais e multilaterais, disse ele, acrescentando que as relações especialmente amistosas geraram benefícios substanciais aos dois povos.

De acordo com Ramaphosa, é de interesse fundamental e de longo prazo da África do Sul continuar fortalecendo a confiança política mútua, expandir a cooperação prática, fortalecer os intercâmbios científicos, tecnológicos e pessoais, e promover sua parceria estratégica abrangente.

Ele prometeu que a África do Sul continuará aderindo firmemente à política de Uma Só China, impulsionará o progresso positivo na cooperação dentro do marco da Iniciativa do Cinturão e Rota, aumentará a comunicação e a coordenação com a China sobre os principais assuntos internacionais e regionais, se oporá ao unilateralismo, fortalecerá o multilateralismo e protegerá os interesses comuns dos países em desenvolvimento.

Sobre a 10ª cúpula do BRICS em Johannesburgo de 25 a 27 de julho, Xi disse que é a primeira a ser organizada na segunda Década de Ouro da cooperação do BRICS e tem um significado especial.

O BRICS reúne as principais cinco economias emergentes do mundo - Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

"Devemos ter em mente o panorama da cooperação do BRICS, intensificar constantemente nossa parceria estratégica, defender claramente o multilateralismo e construir conjuntamente uma economia mundial aberta", disse Xi, prometendo coordenação e apoio à África do Sul na realização de uma cúpula do BRICS bem-sucedida.

Xi e Ramaphosa copresidirão a Cúpula de Pequim do FOCAC em setembro. Ao elogiar as contribuições que a África do Sul tem dado para a institucionalização do FOCAC e a cooperação amistosa entre a China e a África, Xi disse que a China quer discutir com os países africanos sobre os planos para promover a cooperação amistosa entre a China e a África na nova era e construir em conjunto uma comunidade China-África mais estreita de futuro compartilhado.

"É a escolha estratégica firme de longo prazo da China fortalecer a solidariedade e a cooperação com os países africanos", disse ele.

Ramaphosa expressou sua gratidão pelo apoio da China na 10ª cúpula do BRICS em Johannesburgo. Ele disse a Xi que espera participar da Cúpula de Pequim do FOCAC e coordenará os esforços com a China para garantir o sucesso dos dois eventos.

Após as conversações, os dois chefes de Estado testemunharam a assinatura de uma série de documentos de cooperação bilateral e se reuniram com a imprensa.

Ramaphosa realizou uma grande cerimônia de boas-vindas para Xi antes das conversações.
Xi chegou a Pretória na segunda-feira (23) para sua terceira visita de Estado à "nação arco-íris". A viagem é a primeira do tipo desde que Ramaphosa tomou posse em fevereiro deste ano.

A África do Sul é a quarta parada do presidente chinês em viagem a cinco países no Oriente Médio e África, que já o levou aos Emirados Árabes Unidos, Senegal e Ruanda. Ele também visitará as ilhas Maurício durante uma escala.

 

Conheça a TV 247

Mais de Mundo

Ao vivo na TV 247 Youtube 247