China e Coreia do Norte impulsionam relações e reafirmam confiança mútua

A China e a Coreia do Norte estreitam relações num momento em que cresce a possibilidade de uma solução pacífica para o histórico conflito com a Coreia do Sul

Líder norte-coreano, Kim Jong Un, cumprimenta presidente da China, Xi Jinping, em Pequim 28/03/2018 KCNA/via Reuters
Líder norte-coreano, Kim Jong Un, cumprimenta presidente da China, Xi Jinping, em Pequim 28/03/2018 KCNA/via Reuters (Foto: Reinaldo)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247, com Prensa Latina - As relações de amizade que há anos unem a China e a República Popular Democrática da Coreia (RPDC) estão tomando um impulso ainda maior depois que ambos reafirmaram a vontade de estreitar os contatos de alto nivel.

Foi o que ficou confirmado nas reuniões do ministro chinês de Relações Exteriores, Wang Yi, com o líder da RPDC, Kim Jong Un, e o ministro coreano das Relações Exteriores, Ri Yong Ho.

"A tradicional amizade entre a China e a RPDC é um tesouro compartilhado e valioso dos dois países", afirmou Wang, defendendo que este princípio seja transmitido às futuras gerações.

O chanceler chinês aptoveitou a visita realizada na quarta e quinta-feira (3) desta semana a Pyongyang para reafirmar a disposição de Pequim de manter a comunicação e promover a coordenação entre os dois países sobre questões como o processo de paz na Península Coreana.

Wang elogiou a recente reunião de cúpula entre a RPDC e a Coreia do Sul porque criou oportunidades benéficas a uma solução política à crise entre ambos.

"A China apoia o fim do estado de guerra na Península Coreana e apoia a decisão da RPDC de mudar seu enfoque estratégico sobre o desenvolvimento econômico, assim como a resolução de suas legítimas preocupações de segurança durante o processo de desnuclearização", afirmou.

O chanceler chinês também destacou as ações determinantes de Kim a favor da mudança positiva nas relações com Seul.

Por seu turno, o mandatário norte-coreano apreciou os esforços e a contribuição da China para avançar rumo à paz e à estabilidade duradoura da Península Coreana, e se comprometeu a reforçar ainda mais a comunicação com a China.

Kim qualificou as relações entre Pequim e Pyongyang de legado valioso deixado pelos líderes das gerações anteriores de ambos os países, e afirmou que consolidar e melhorar a cooperação amistosa é uma política estratégica firme de seu governo.

"A RPDC colaborará com a China para promover de maneira conjunta os laços e a amizade bilaterais a um nível novo e superior", acrescentou Kim.

Sobre a aproximação com Seul, afirmou que alcançar a desnuclearização da Península também é objetivo da RPDC, assim como restabelecer o diálogo mútuo, criar confiança recíproca e extirpar desde a raiz as causas que ameaçam a paz.

A visita de Wang, que é também membro do Conselho de Estado da China, se inscreve no processo de aproximação e distensão entre as duas Coreias que desembocou na realização de uma reunião de cúpula com resultados positivos entre Kim e o presidente sul-coreano, Moon Jae-in, na sexta-feira passada.

O governante da RPDC prevê reunir-se em breve com o presidente dos Estados Unidos Donald Trump.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247