China exige que EUA eliminem restrições à Huawei

A China exigiu que os Estados Unidos eliminem todas as restrições impostas às suas empresas, especialmente a gigante tecnológica Huawei, que é alvo de sanções unilaterais pela Casa Branca

(Foto: Paulo Emílio)

Prensa Latina - A China exigiu que os Estados Unidos eliminem todas as restrições impostas às suas empresas, especialmente a gigante tecnológica Huawei, que é alvo de sanções unilaterais pela Casa Branca. 

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores de Pequim, Geng Shuang, pediu que a administração do presidente Donald Trump trate as empresas desta nação asiática de forma justa e não discriminatória.  Geng respondeu às recentes declarações do presidente Trump, que insistiu em sua relutância em conduzir negócios com a gigante das telecomunicações Huawei.  

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China exigiu a suspensão imediata das punições impostas por Washington à empresa citada e defendeu os benefícios compartilhados que a cooperação entre os dois países pode gerar.  

Na véspera, o secretário de Comércio dos EUA, Wilbur Ross, confirmou que a moratória por sanções contra a Huawei nos EUA será prorrogada por mais 90 dias.   

A decisão adia a aplicação das penalidades contra a empresa até 19 de novembro e a Huawei pode fazer as transações necessárias para manter e suportar redes e equipamentos existentes e em pleno funcionamento.  

No entanto, a cláusula que estabelece que a Huawei e suas subsidiárias devem solicitar autorização do governo quando desejarem comprar tecnologia dos EUA permanece em vigor.  

Desde o início da cruzada norte-americana contra a Huawei e outras empresas chinesas, a China disse que apoiaria as empresas nacionais a defender seus direitos legítimos por meio de canais legais.  

A Huawei é a segunda maior fabricante mundial de smartphones e é vista como líder mundial no desenvolvimento da quinta geração da rede 5G.  

Embora o governo Trump defenda a aplicação de punições contra a empresa em razão de ser uma ameaça à segurança nacional, especialistas dizem que os movimentos de Washington contra a Huawei fazem parte de uma estratégia mais ampla para conter a crescente importância da China no mundo

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247