China pede que cúpula do G20 envie 'forte sinal' de apoio ao multilateralismo

A China deseja que a próxima cúpula do G20 em Osaka, Japão, envie um forte sinal de apoio ao multilateralismo e de oposição ao unilateralismo

Xinhua - A China deseja que a próxima cúpula do G20 em Osaka, Japão, envie um forte sinal de apoio ao multilateralismo e de oposição ao unilateralismo, declarou na terça-feira (25) o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores.  

Segundo reportagens, o Fundo Monetário Internacional (FMI) e a Organização Mundial do Comércio (OMC) emitiram seus relatórios na segunda-feira, expressando apreensão sobre o atual panorama econômico global. 

Os relatórios apontaram que as medidas restritivas impostas pelos membros do G20 e também as tensões comerciais entre os mesmos aumentarão as incertezas em relação ao crescimento econômico mundial.  

Sobre isso, o porta-voz Geng Shuang disse que a instabilidade e as incertezas sobre a economia global se deram principalmente devido às tensões comerciais que resultaram em práticas unilaterais, protecionistas e de bullying.  

Geng disse que a China sempre defendeu o livre comércio e a salvaguarda do sistema comercial multilateral baseado em regras. "A China, como vítima de múltiplas restrições comerciais, sempre acaba na linha de frente de oposição às práticas unilaterais, protecionistas e de bullying."  

A China está pronta para buscar um consenso e soluções com os membros do G20 na cúpula em Osaka para promover o crescimento comercial global, avançar o desenvolvimento econômico mundial, melhorar a governança global e lidar com os riscos e desafios, disse o porta-voz.  

"A China deseja que a cúpula em Osaka envie um forte sinal de apoio ao multilateralismo e de oposição ao unilateralismo, suporte a abertura, a inclusividade e a oposição ao protecionismo, assim como a cooperação mutuamente benéfica e a oposição ao bullying", disse ele.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247